loader

Angola e Bélgica assinam memorando de entendimento para uma comissão bilateral

A visita de Didir Reynders à capital angolana serviu também para abordar questões ligadas às eleições com a República Democrática do Congo (RDC)

Texto de: Neusa Filipe

Um memorando de entendimento sobre a realização de uma comissão bilateral entre o Ministério das Relações Exteriores (MIREX) e o Serviço Público Federal dos Negócios Estrangeiros, Comércio Externo e Cooperação para o Desenvolvimento do Reino da Bélgica foi assinado ontem, em Luanda, pelo ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, e pelo vice-primeiro ministro e ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino da Bélgica, Didir Reynders.

A assinatura aconteceu no final de um encontro de trabalho entre Manuel Augusto e Didir Reynders, na sequência de uma visita de trabalho de vinte e quatro horas efectuada pelo chefe da diplomacia do Reino da Bélgica à capital angolana. Na ocasião, o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, considerou históricas e excelentes as relações entre Angola e a Bélgica, acrescentando que podem ser melhoradas permanentemente, a fim de serem traduzidas para uma cooperação económica que venha a ser mutuamente vantajosa.

Salientou que os contactos entre Angola e o Reino da Bélgica são muito importantes, quer na perspectiva bilateral,quer na perspectiva das relações entre Angola e a própria União Europeia. “Bruxelas é a capital da Europa, por essa razão a delegação oficial do Reino da Bélgica tem que, automaticamente, representar a União Europeia”, disse, Manuel Augusto. Anunciou que em Outubro deverá ter lugar a próxima reunião entre a União Europeia e Angola.

Assegurou que, sempre que os responsáveis dos dois países se encontrem têm a oportunidade de não olhar somente para uma cooperação que tem tido sempre a tendência crescente, mas sobretudo de passarem em revista a actualidade nos dois continentes, ou seja, na Europa e em África.

O governante angolano destacou o facto de a visita do viceprimeiro ministro do Reino da Bélgica ter acontecido num momento considerado politicamente histórico para Angola, com a transição política no MPLA, partido no poder.

Relações excelentes Por seu turno, Didir Reynders, chefe da diplomacia do Reino da Bélgica, considerou igualmente excelentes as relações entre Angola e a Bélgica. Considerou ainda a sua vinda a Angola como sendo uma visita oportuna num momento de reformas no país, tendo felicitado o Presidente angolano, João Lourenço pela ascensão nas suas novas funções.

Relativamente às áreas de cooperação entre os dois países, Didir Reynders disse estar em curso uma cooperação no domínio da defesa e da diplomacia, em que está prevista a formação de diplomatas. Esta cooperação estende-se, também, para as área das alfândegas e do combate à corrupção, da medicina tropical e no domínio dos petróleos, segundo o diplomata.

Nesta sua visita, aproveitou igualmente para abordar assuntos sobre as eleições gerais na República Democrática do Congo (RDC), previstas para 23 de Dezembro deste ano.-

Últimas Notícias