loader

Ministra da Cultura aborda internacionalização da Cultura com embaixadores angolanos

A titular da pasta da cultura, carolina cerqueira, abordou em luanda, aspectos ligados ao processo de internacionalização da cultura angolana com os embaixadores de angola acreditados no rwanda, congo Brazzaville e no Japão

Trata-se dos diplomatas Eduardo Octávio, Vicente Muhanda e Rui Silva, respectivamente. Durante a audiência com o embaixador Eduardo Otávio, a ministra referiu que Angocla tem mantido uma troca de experiência no domínio da Cultura com o Rwanda e que o tratamento dado por aquele país ao fenómeno religioso através de um paradigma para suster a propagação de seitas religiosas poderá servir de modelo.

Carolina Cerqueira realçou que o projecto Lei sobre a Liberdade de Culto, Crença e Religião vai ao Parlamento na próxima legislatura para discussão e aprovação e é necessário conhecer a experiência de outros países. Deu igualmente realce à necessidade da troca de experiências no domínio da educação musical, da dança e da Educação para a Cultura da Paz.

O embaixador angolano disse congratular-se com as perspectivas de cooperação cultural entre os dois países num quadro de troca de experiência e de informação em vários domínios da Cultura.

Por outro lado, no encontro com o embaixador Vicente Muhanda, Carolina Cerqueira afirmou que o Congo-Brazzaville é um país muito importante do ponto de vista histórico, político e cultural e que requer um tratamento preferencial, tendo em conta a motivação histórica e política que une ambos os países com um passado comum na luta de libertação, a partilha de laços linguísticos, culturais comuns e o engajamento na preservação da Paz e estabilidade na região.

“Há laços fortes de irmandade que têm que se manter vivos e as relações mútuas fortalecem a nação, criam confiança entre os povos e projectam outras áreas importantes do desenvolvimento e da paz necessária na Região da África Central, onde as fronteiras existentes entre Angola e os Congos são estratégicas, referiu a ministra da Cultura.

A governante informou que, com o Congo-Brazaville, Angola tem como grande prioridade no domínio da `Cultura, â partilha do património comum de Mbanza Kongo que é um bem da Humanidade e compromisso dos países do antigo Reino do Congo. Para o embaixador no Congo -Brazaville, Vicente Muhanda, o encontro visou preparar o trabalho que será desenvolvido naquele país no domínio da cooperação e reforço cultural.

Por sua vez, Rui Silva, embaixador de Angola no Japão, afirmou que a ligação de Angola com o Japão no domínio da Cultura é quase inexistente, mas que deve se trabalhar para incrementar as relações culturais nos vários domínios. No seu entender, a Cultura é o cerne de uma Nação e pode-se estabelecer um quadro vasto de cooperação cultural com o Japão absorvendo a sua cultura e transmitindo a riqueza cultural de Angola.

A ministra afirmou que embora não haja nenhum protocolo efectivo entre Angola e o Japão, a aproximação tem sido a base entre os dois países no domínio cultural. Para Carolina Cerqueira, o reforço da diplomacia cultural e do estreitamento das relações com vários países poderá impulsionar a promoção do investimento e da cooperação nos vários domínios.

Carolina Cerqueira pediu ao embaixador para fazer a recolha de informações que permitam Angola trabalhar com o Japão no domínio da formação cultural e augurou que o caminho seja aberto para estabelecer um programa integrado de troca de experiências com aquele país asiático com uma cultura milenar excepcional.

Solicitou, igualmente, que se identifiquem áreas comuns em que Angola pode pedir apoio ao Japão para desenvolver uma cooperação ligada, fundamentalmente à música, para impulsionar abroquelares sinfónica nacional bem como o apoio para a tradução de livros dos escritores angolanos em variadas línguas, por ser uma forma de conhecimento. de expansão e divulgação da realidade angolana.

Últimas Notícias