Vice-presidente enaltece figura de Neto na libertação da Nação

O acto central do Dia do Herói Nacional, decorrido ontem na cidade do Cuíto- Bié serviu para reavivar a memória colectiva sobre os feitos do fundador da Nação

Neusa Filipe, enviada ao Cuito

O vice-presidente da República, Bornito de Sousa, enalteceu ontem, no Cuíto (Bié), a figura de António Agostinho Neto como o poeta inspirador cuja vida inteira foi dedicada à causa da liberdade e da dignidade dos angolanos, da Independência nacional e da solidariedade internacional.

Bornito de Sousa discursava na cidade do Cuíto, capital da província do Bié, onde presidiu o acto central do 17 de Setembro, Dia do Herói Nacional, dedicado ao fundador da Nação angolana, António Agostinho Neto.

Na ocasião, o vice-presidente da República descreveu a vida e obra de Neto, tendo salientado o seu legado para com o povo angolano, a proclamação da Independência Nacional e o seu apelo à unidade nacional. Bornito de Sousa ressaltou ainda a dimensão de Neto enquanto médico, tendo sublinhado o seu humanismo ao atender gratuitamente os doentes mais vulneráveis.

Homem de Cultura Enquanto poeta e homem de cultura, o vice-presidente da República reconheceu que Agostinho Neto deixou para os angolanos uma colectânea de discursos orientadores contidos nas suas obras poéticas, com destaque para “Sagrada Esperança” e “Renúncia Impossível”.

Referiu também a dimensão internacional do estadista que se projectou pelo mundo e pelas mais relevantes instituições regionais e internacionais. “O simbolismo que encerra o dia 17 de Setembro será sempre uma ocasião para se invocar a memória de António Agostinho Neto”, disse.

Acrescentou que a sua obra e os seus valiosos ensinamentos inspiraram e continuam a inspirar os angolanos no processo de construção de Angola “como um só povo e uma só nação”. “Homenagear Neto é algo que deve acontecer todos os dias das nossas vidas e em cada atitude que tomamos perante o próximo e perante a Nação”, reforçou.

Governo defende maior aposta no sector social

Por outro lado, O vicepresidente da República destacou a educação e o ensino de qualidade como fundamentais para o desenvolvimento sustentável de Angola, daí a necessidade do reforço do corpo docente.

A criação de um centro de excelência de formação e capacitação de professores no Magistério Mutu Ya Kevela, em Luanda , e a adopção de medidas no sentido de uma maior dignificação do estatuto da carreira docente nos vários níveis de ensino constam entre as preocupações levantadas por Bornito de Sousa.

No âmbito do desenvolvimento nacional, destacou as perspectivas do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) para o período 2018/2022, assente em 83 programas de acção, 25 políticas estratégicas e seis eixos de intervenção, dentre os quais o desenvolvimento humano e bem-estar, o desenvolvimento económico, sustentável e inclusivo.

Neste leque, constam ainda as infra-estruturas indispensáveis para o desenvolvimento, a consolidação da paz, o reforço do Estado democrático e de direito, a boa governação, a reforma do Estado e descentralização, o desenvolvimento harmonioso do território e a garantia da estabilidade e integridade territorial.