DStv oferece canal aberto a todos os seus subscritores com a estreia Segunda-feira de ‘Única Mulher’

O canal denominado TVI África estará aberto a partir de Segunda-feira, na posição 516 e marcará a estreia da telenovela ‘Única Mulher’, com a participação do actor angolano Fredy Costa, segundo a operadora.

A Multichoice Angola disponibilizará a partir de Segunda-feira, 1, o canal TVI África em sinal aberto para todos os subscritores da DStv amantes de entretenimento e informação. Durante 30 dias, o canal generalista português disponível na posição 516, concebido propositadamente para uma plataforma internacional, oferecerá uma variedade de programas desde telenovelas, talkshows e espaços musicais. Nomeada para um Prémio Emmy Internacional, a telenovela ‘Única Mulher’ é exibida à semelhança da anterior ‘Valor da vida’, que teve a participação do também actor angolano Pedro Hossi. A esta seguir-se-á no próximo Sábado o programa de música ‘Top K’, e o talk-show ‘Palopiando’ a partir de 7 de Outubro. Neste programa, cada convidado fará uma viagem pelas suas memórias, carreira e projecto de vida. O canal TVI leva em exclusivo para Angola e Moçambique os conteúdos líderes da televisão portuguesa, como novelas, reality-shows e informação líder em Portugal, numa plataforma internacional.

A história A Única Mulher é uma série portuguesa produzida pela Plural Entertainment e transmitida pela TVI, e foi escrita por Maria João Mira e André Ramalho, com ideia original de José Eduardo Moniz, com direcção de António Borges Correia. Foi gravada em Portugal e em Angola, nomeadamente em Luanda e foi protagonizada por Ana Sofia Martins, Lourenço Ortigão, Alexandra Lencastre, Ângelo Torres e Rita Pereira. O colapso de um grande Banco nacional desencadeia o (re) encontro de duas realidades e o conflito entre duas famílias. Luís Miguel (Lourenço Ortigão) é um jovem engenheiro que procura fazer carreira em Angola. Para trás, deixa uma família tradicional e conservadora, afectada pela crise.

O seu pai Jorge (José Wallenstein) é dono de uma construtora nacional, em risco de falência, e a sua mãe Pilar (Alexandra Lencastre) espera sair rica de um casamento desfeito. Em Angola, Luís Miguel conhece Mara (Ana Sofia Martins), uma enfermeira que o salva de morte certa. O pai da rapariga, Norberto (Ângelo Torres), um empresário angolano com importantes investimentos em Portugal, também é o principal cliente da construtora de Jorge, que tem na mão o destino da empresa mas também um grande ressentimento contra os portugueses que, durante a guerra colonial, assassinaram o seu pai. A herança deste passado e os interesses do presente transformam o que seria uma disputa empresarial no choque de dois mundos. Mas nada sobrevive à vingança de uma mulher: Luena (Rita Pereira) é filha de retornados que perderam tudo o que tinham, com a independência de Angola. Ela quer recuperar o património da família, acima de tudo. Até de si própria.