Ex-governador da Huíla ouvido na DNIAP

Acusado de crime de peculato, por supostamente se ter beneficiado de comissões nos pagamentos a professores e na aquisição de mais de 10 laboratórios escolares para a província da Huíla, João Marcelino Tyipinge foi ontem interrogado na Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), órgão afecto à Procuradoria-Geral da República (PGR).

De acordo com uma fonte de OPAÍS, o governante compareceu na PGR em companhia do seu advogado, a fim de prestar esclarecimentos sobre as acusações que pesam sobre si. Os efectivos do Serviço Provincial de Investigação Criminal na Huíla foram orientados a estarem em prontidão para, a qualquer momento, executarem a ordem de detenção do ex-governador, segundo uma outra fonte da corporação.

O ex-secretário-geral do Governo provincial da Huíla, António Ndasindondyo, terá confirmado também o depósito numa conta do governador de parte do dinheiro que receberam como comissão do negócio da compra de laboratórios escolares. António Ndasindondyo assinara, em representação de João Tyipinge, o contrato com a empresa Ciko Soluções, propriedade do coarguido Costa Inácio de Oliveira. Enquanto decorria o interrogatório, na tentativa de dispersarem os jornalistas que se encontravam no exterior, surgiram rumores de que o governante se deslocaria a Luanda, na tarde de ontem, para prestar informações na DNIAP. Passadas algumas horas, surgiram informações de que voltou ocupar o seu lugar como deputado à Assembleia Nacional, que também não condizem com a realidade.

A Comissão Permanente do Parlamento reuniu ontem, sob orientação do seu presidente, Fernando da Piedade Dias dos Santos, com o objectivo aprovar a agenda da sessão plenária do dia 12 e preparar a reunião solene de abertura da segunda sessão legislativa (ano parlamentar) da IV legislatura da Assembleia Nacional, prevista para o dia 15 de Outubro, que contará com a apresentação do Estado da Nação, pelo Presidente da República, João Lourenço. No dia 12 de Outubro próximo, haverá uma sessão ordinária para eleger o primeiro e segundo vice- presidentes do órgão legislativo, em substituição de Joana Lina e Higino Carneiro. O Grupo Parlamentar do MPLA, partido que indicou o primeiro e segundo vice-presidentes do Parlamento, na sequência dos resultados das eleições gerais de 23 de Agosto de 2017, solicitou apenas a disponibilidade do primeiro e segundo vice-presidentes do órgão legislativo, em substituição de Joana Lina e Higino Carneiro.