Loyd Ana Vasconcelos: Sonha em abrir uma indústria de roupas

Formada em Línguas, em Portugal, é da moda que Ana Loyd mais gosta. Por isso, fez também um curso nesta especialidade e espera criar um “império”, em Luanda, onde vai congregar todos os serviços do sector

Loyd Ana Vasconcelos apaixonou-se pelo mundo da moda quando ainda era criança. Na altura, vivia com os avôs maternos, inicialmente, na Suécia e, posteriormente, no Zimbabwe. “Aprendi a coser os pontos todos a mão como castigo. Sempre que eu e as minhas primas nos portávamos mal, a avó mandava coser e acabei na costura”, conta. Em 2000, Loyd Ana vai a Portugal com o objectivo de estudar Direito, mas acabou por fazer um curso de intérprete e tradução de línguas. Após ter concluído esta formação, resolveu fazer uma segunda licenciatura. Desta vez, na especialidade que ela adorava: a moda. Cada dia que passa, Loyd Ana Vasconcelos procura aperfeiçoar a costura com cursos específicos. De regresso a Luanda, a jovem recém-formada em moda estagiou com uma das mais renomadas estilistas do país, Elizabeth Santos, com quem acredita ter aprendido muito. Passado algum tempo, foi trabalhar para uma empresa petrolífera como assistente do director-geral. Em 2010, surgiu uma oportunidade de trabalhar na Expo na China durante 10 meses e não hesitou.

Foi então que Loyd Ana Vasconcelos resolveu investir todo o dinheiro que tivera ganho em máquinas de costuras diversas, tecidos, linhas e outros equipamentos para realizar o seu maior desejo: abrir um atelier. “Juntei os salários e pedi ajuda aos meus familiares. No total, investi cerca de 250 mil dólares norte- americanos na compra de cinco máquinas de diferentes pontos e todos equipamentos para abrir a primeira loja de costura”, conta. Em Luanda, Loyd Ana Vasconcelos arrenda um espaço na Cooperativa Habitacional Lar do Patriota e monta o atelier. Foi nessa altura que surge a marca de roupa “Ana Loyd”. “Comecei a fazer corpetes, vestidos de noite e noiva, porque a modelagem é idêntica. Com o passar do tempo, passei a fazer roupas sociais africanas”, referiu.

Os preços variam de acordo com o tipo de roupa desejado pelos clientes. Passados dois anos, tal como todo iniciante no negócio, Loyd Ana Vasconcelos percebeu que tinha mais custos que lucros e resolveu fechar o espaço. Loyd Ana Vasconcelos confecciona todo tipo de roupas, desde fatos, vestidos de noiva, roupas para crianças, uniformes e até utensílios para residências. Em 2015, decidiu reabriu o atelier em casa, no bairro Patriota, onde cose diversos tipos de roupa social, batas e outros trajes e conta com quatro funcionários. O maior desafio que teve foi coser o vestido de noiva da irmã mais nova e foi um êxito. Actualmente, Loyd Ana ministra aulas de moda na escola de artes na centralidade do Kilamba, nas disciplinas de história da moda e modelagem plana. A marca de roupa “Ana Loyd” encontra-se exposta no Shopping Xyami e nas feiras de artesanato da Ilha de Luanda e no Patriota. Mensalmente, Loyd Ana produz 100 peças de vestuários e 10 encomendas de clientes.

Projectos

O projecto da empreendedora passa por construir um “império” da moda, com um edifício com mais de 20 andares e uma cadeia de produção de vestuário diverso.