Toque de recolher de 48 horas na região anglófona de Camarões

A uma semana das eleições presidenciais nos Camarões, no dia 7 de Outubro, o governo decretou um toque de recolher na duas regiões anglófonas do país, onde os separatistas planeiam “celebrar” o primeiro aniversário da sua “independência” simbólica. O toque de recolher nas regiões anglófonas do Sudoeste e do Noroeste estará em vigor neste Domingo e na Segunda-feira, de acordo com a sub-prefeitura de Buea, capital da região Sudoeste.

O toque de recolher é válido tanto durante o dia como de noite e implica a proibição de transportes públicos e privados, assim como o encerraamento de empresas e lojas de bebidas. A zona anglófona dos Camarões está desestabilizada por grupos armados separatistas que pretendem proclamar um Estado independente. Eles afirmam que desejam restabelecer a “dignidade” de uma minoria anglófona que sente estar marginalizada pelo governo central, dominado majoritariamente pela comunidade francófona.

Em Outubro de 2017, líderes radicais anglófonos declararam a “República de Ambazonia” nas duas regiões de língua inglesa do país. Ao menos 40 manifestantes morreram na ocasião em acções da polícia, de acordo com o centro de análises International Crisis Group (ICG). A sete dias das eleições presidenciais, os separatistas anglófonos afirmam que a votação não vai acontecer em suas regiões. O governo de Camarões assegura que a eleição acontecerá nas 360 circunscrições do país. As regiões anglófonas são historicamente redutos de votos do ‘Social Democratic Front’ (SDF), principal partido da oposição.