Caála vai beneficiar de novas infra-estruturas do ITA

A expansão das infra-estruturas de rede até ao município da Caála é uma aposta que traduz a relevância que a empresa reconhece na província do Huambo

POR: Borges Figueira

Caála, um dos 11 municípios que integra a província do Huambo, vai beneficiar nos próximos meses da rede de telecomunicações do ITA, no âmbito do processo de expansão dos serviços em curso na firma, segundo revelou, nesta Segunda-feira, em Luanda, o seu porta-voz Leandro Carlos. De acordo com o responsável, a expansão das infra-estruturas de rede até ao município da Caála é uma aposta que traduz a relevância que a empresa reconhece na província do Huambo. Questionado sobre o valor a ser investido, Leandro Carlos, disse que embora não tenha ainda o valor do investimento, os agentes económicos que operam naquele município vão passar a dispôr de uma infra-estrutura de elevada capacidade e fiabilidade, capaz de suportar as suas operações através das soluções de IT.

“O mercado do Huambo é particularmente importante, porque tem potencial para ser a zona de maior produção agrícola do país, o celeiro das empresas do sector, o que, certamente, irá trazer à volta disso, um conjunto de empresas dos mais variados sectores. “Por isso, desde muito cedo, apostamos na construção de infra-estruturas de telecomunicações que permitam aos agentes económicos, sobretudo empresas, ter acesso a um conjunto de produtos e serviços de IT”, disse. Leandro Carlos, que falava ao Jornal OPAÍS, à luz da Expo-Huambo 2018, em que a sua empresa participou, adiantou que hoje as telecomunicações e as soluções de IT estão directamente ligadas ao processo produtivo, independentemente da natureza da organização e do serviço que presta. A prova disso é que as maiores empresas do mundo, segundo o Ranking da Forbes, são empresas de telecomunicações, com operações baseadas em plataformas de telecomunicações e IT.

Por outro lado, a fonte reconheceu a importância deste serviço na economia nacional, “construímos uma infra-estrutura que atende às necessidades dos agentes económicos em todo o espaço nacional, porque acreditamos que estas soluções são essenciais para o crescimento económico, na medida em que aumentam a produtividade”, disse. Além do escritório no Huambo, que coordena todas as operações localmente, a ITA construiu uma infra-estrutura de rede própria que está a prover soluções de telecomunicações de alta capacidade e fiabilidade em fibra óptica, wireless e satélite. “Com esta infra-estrutura os agentes económicos que operam aqui no Huambo têm a possibilidade de aplicar, nas suas organizações, as mais modernas soluções de IT, tornando, deste modo, as suas operações muito mais eficientes e garantir o desenvolvimento económico e social”, explicou. Recentemente, recorde-se, a ITA estabeleceu uma parceria com a RNT – E.P. para exploração da rede de Fibra Óptica nos circuitos Benguela – Luanda – Soyo (Zaire), com uma capacidade de 10Gbps, ao longo de cerca de 1000 Km. Esta parceria vem rentabilizar a infra-estrutura da RNT que não é utilizada pelo organismo, ao mesmo tempo que permite à ITA entregar serviços diferenciadores, com uma qualidade excepcional, e expandir a sua rede nacional de serviços.

Com este circuito, os agentes económicos na província de Benguela e nos demais pontos por onde passa esta infra-estrutura passam a estar ligados directamente a um dos maiores pontos de conectividade do país, que são os circuitos da ITA, tirando deste modo proveitos dos benefícios proporcionados pelas telecomunicações. Os investimentos efectuados pela RNT na sua rede, especialmente no que diz respeito à substituição de cabos obsoletos por cabos Standard OPGW (Optical Ground Wire), permitem a transmissão de dados com alta fiabilidade, utilizando fibra óptica. A RNT utiliza apenas cerca de 25% desta capacidade, deixando cerca de 75% sem utilização. Com vista à rentabilização da rede e optimização das comunicações, esta parceria vem promover o desenvolvimento e o crescimento da rede de telecomunicações e das empresas que a ela estão ligadas, contribuindo para o crescimento e para o desenvolvimento das organizações, das regiões e consequentemente do país. O investimento da ITA em equipamentos rondou os 100.000.000 AOA (cem milhões de Kwanzas), onde se destaca o investimento na melhoria de infra-estrutura no circuito Luanda-Benguela, com a implementação de terminações nas subestações de Gabela, Alto- Chingo, Quileva, Lomaum e Nova Biópio. Houve também um forte investimento na capacitação de técnicos especializados angolanos, garantindo conhecimento técnico para operar a rede e a infra-estrutura, com altos padrões de eficiência.