Ciúme leva cidadão a matar a enteada

Um homem de 36 anos de idade está ser acusado de ter matado a sua enteada no bairro Valódia, arredores da cidade do Lubango, província da Huíla, por supostas questões passionais

POR: João Katumbela, na Huíla

A informação foi avançada à imprensa, ontem, pelo director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial da Polícia Nacional durante o balanço da situação operativa das 72 horas anteriores. O Inspector Chefe Luís Filipe Zilungo explicou que o crime, que vitimou uma menor de 3 anos de idade, foi praticado no interior de uma residência, no dia 29 do mês passado. A menor de 3 anos de idade perdeu a vida quando o padrasto, de 36, agredia fisicamente a mãe desta, que a carregava ao colo. “Ocorreu no interior de uma residência, no bairro Valódia, município do Lubango.

O facto ocorreu quando, por questões passionais, o acusado agrediu fisicamente a sua esposa e a menor, tendo a mesma não resistido á pancada, acabando por sucumbir minutos depois”, detalhou. O director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial da Polícia Nacional na Huíla informou ainda que a queixa foi apresentada pelos familiares, o que permitiu a detenção imediata do acusado. No mesmo período, isto no dia 30 de Setembro do ano em curso, a Polícia registou ainda a ocorrência de mais um crime de homicídio voluntário, praticado por dois cidadãos nacionais no município do Chipindo. Neste município foi vítima um cidadão nacional de 48 anos de idade, que tentava apaziguar uma luta entre outros dois.

O crime de homicídio, supostamente praticado por dois cidadãos nacionais de 35 e 65 anos de idade, teve recurso a instrumentos de arremesso (pedras) que o atingiram na região do tórax e no baixo-ventre. Durante as 72 horas em balanço, a Polícia Nacional na Huíla tomou o conhecimento da ocorrência de 34 crimes de natureza diversa, 26 dos quais já foram esclarecidos, tendo resultado na detenção de 29 cidadãos nacionais. Estes crimes estão tipificados em violação sexual, desobediência aos agentes de autoridade, fogo posto, posse ilegal de arma de fogo, uso de uniforme suposto com condecoração militar, roubos, furtos, entre outros.

Sinistralidade rodoviária

Quanto a sinistralidade rodoviária, foram registados durante as 72 horas, sete acidentes de viação, que resultaram em dois mortos, mais um que em igual período anterior, quatro feridos, mais seis que em análogo período. Estes acidentes tiveram como possíveis causas o excesso de velocidade, cruzamento irregular, má travessia de peão e colisão entre veículos automóveis e motociclos.