Visto de turismo para os EUA vai custar menos aos angolanos

A medida elimina a taxa de emissão de 10 dólares para todos os solicitantes de visto de turista com passaportes angolanos que solicitem em Luanda ou em qualquer outra parte do mundo.

A Embaixada dos Estados Unidos em Angola anunciou ontem, em comunicado, que a partir de hoje, Terça-feira, 2, os vistos de turismo para os angolanos vão custar menos 10 dólares. De acordo com um comunicado, a medida elimina, deste modo, a taxa de emissão de 10 dólares para todos os solicitantes de visto de turista com passaportes angolanos, sendo que a mudança deverá abranger todos os cidadãos angolanos que solicitem em Luanda ou em qualquer outra parte do mundo. Anteriormente, os cidadãos Angolanos tinham que pagar uma taxa de 160 dólares, antes da entrevista de visto, e uma taxa de 10 dólares depois da entrevista.

“Agora os requerentes angolanos só terão de pagar a taxa de 160 dólares no acto da entrevista”, lê-se. A instituição diplomática justifica em comunicado que a eliminação da taxa de emissão “é o resultado de revisões periódicas para garantir que as taxas e os prazos de validade sejam consistentes com as condições recíprocas concedidas por outros países para os Estados Unidos”. Os prazos de validade para vistos de turista permanecem inalterados. O visto é válido por dois anos. Por outro lado, a embaixada americana manifesta na informação satisfação e encorajamento pelo processo de simplificação de vistos implementado pelo Governo angolano. “Incluindo o sistema de vistos electrónicos e os seus planos para um visto de investimento mais simplificado”, lê-se na nota que cita palavras do cônsul da Embaixada dos EUA em Luanda, Sam Worland-Esquith. O diplomata, segundo a informação, disse esperar que essas mudanças em ambos os lados aumentem as visitas de turismo e de negócios dos cidadãos dos Estados Unidos e de Angola. Por outra, os Estados Unidos da América estão entre os países cujos cidadãos beneficiam do processo de simplificação de actos administrativos para obtenção de vistos de turismo.

A informação consta no Decreto Presidencial de 20 de Fevereiro, a que o País teve acesso, e que entrou em vigor a 30 de Março. Na componente de simplificação da concessão deste tipo de visto, que abrange 61 países, incluindo Portugal, e também Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Brasil e Timor-Leste, o documento define a necessidade de apresentação, apenas, de comprovativo de reserva de hotel ou de acolhimento por cidadão residente em Angola, de comprovativo de meios de subsistência e de cartão internacional de vacinas actualizado, além de bilhete de passagem de ida e volta e passaporte válido. Bem como, a necessidade de uma carta de chamada, subscrita e reconhecida em Angola, em que um cidadão residente no país assume a responsabilidade e o convite à visita do cidadão estrangeiro. Recentemente, o ministro Manuel Augusto afirmou à imprensa ter tido contactos com o Departamento de Estado norte-americano e ter recebido a garantia de que aquele país vai apoiar o Governo angolano no que se refere ao repatriamento de capitais.