França congela activos iranianos após tentativa de atentado

O Governo francês anunciou, nesta Terça-feira (2), ter congelado activos de dois iranianos e dos serviços de Inteligência do Irão, em resposta a uma tentativa de atentado contra uma reunião de partidários da Oposição iraniana perto de Paris, em Junho passado. “Este acto de extrema gravidade previsto no nosso território não podia ficar sem resposta”, disseram numa declaração conjunta os ministros franceses do Interior, das Relações Exteriores e da Economia.

“Ao tomar esta decisão, a França ressalta a sua determinação de lutar contra o terrorismo em todas as suas formas, em particular no seu próprio território”, acrescentaram. Um dos responsáveis punidos é Assadollah Assadi, um diplomata iraniano detido na Alemanha, em Julho, pelo seu suposto envolvimento no atentado frustrado contra um encontro de um grupo da Oposição iraniana em exílio em França, os Mujahidine do Povo Iraniano (MEK).

O congelamento de activos de Assadi e do também iraniano Saeid Hashemi Moghadam, assim como da Direcção de Segurança Interna do Ministério de Inteligência iraniana, entrou em vigor nesta Terça-feira e ficará em vigor por seis meses. Numa decisão separada, as autoridades francesas congelaram os activos do Centro Zahra França, um dos principais centros xiitas da Europa, e de três associações ligadas a ele. Cerca de 200 polícias revistaram ontem a sua sede no Norte de França, como parte de uma operação de “prevenção do terrorismo”.