Ciro Gomes diz que Bolsonaro usa atestado falso para não ir a debate

O candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT) às presidências brasileiras, Ciro Gomes, acusou ontem Jair Bolsonaro, que lidera as sondagens, de usar um atestado falso para não comparecer no último debate televisivo antes das eleições, apelidando-o de “nota de três reais”.

“Eu quero dizer que eu vou tirar a sua máscara, Bolsonaro. Você não pode deixar de ir ao debate. Você está mentindo, e atestado médico falso é crime”, afirmou Ciro Gomes à imprensa, em São Paulo. “Vá ao debate da Globo que eu vou mostrar que você é uma nota de três reais”, afirmou.
Ciro disse que recebeu na terça-feira as regras do debate da Globo, emissora que irá transmitir o debate de quinta-feira, e nelas constavam que o processo teria de ser adaptado após a confirmação de que Bolsonaro não iria participar.
O candidato do PDT afirmou ainda que vai tentar processar os médicos de Bolsonaro por estes emitirem um atestado falso – alegando o estado de saúde do candidato, esfaqueado em setembro numa ação de campanha -, segundo a plataforma informativa UOL.
Um dos médicos que acompanha a evolução da saúde do candidato da extrema-direita, o cirurgião Antonio Macedo, afirmou hoje que impediu a participação de Bolsonaro no debate desta quinta-feira, por questões médicas.
Quanto à sua própria participação no último debate, Ciro Gomes afirmou: “Sou o que sou, vou falar o que penso, vou procurar dizer ao povo brasileiro para desarmarmos essa bomba de extremismos do PT (Partido dos Trabalhadores) e Bolsonaro. Isso vai afundar o Brasil numa crise de que talvez não possamos sair com a democracia”.