Guilherme Mampuya expõe na Expo Macau 2018

O certame organizado pelo Secretariado Permanente do Fórum de Macau tem como palco o Edifício do Antigo Tribunal e junta um leque diversificado de actracções.

O artista plástico Guilherme Mampuya participará, a partir do próximo dia 9, na X edição da Semana Cultural da China e dos Países de Língua Portuguesa com a exposição “Somos Estrelas”. A mostra, constituída por 2 figuras zodíacos, pintadas em 12 painéis em acrílico, terá lugar na Galeria de Exposições da Avenida da Praia. A exposição questiona as actuações dos homens no cosmo, tentando definir estratégias para manter o equilíbrio do universo. Esta prestigiada colecção será inaugurada a 13 deste mês e tem como foco principal a promoção do desenvolvimento e da prosperidade mútua, nas mais variadas facetas, entre a China e os Países de Língua Portuguesa ali representados.

Somos Estrelas” é uma alegoria, um apelo desesperado do universo aos humanos para colocarem as suas acções em uníssono com o equilíbrio cósmico. O certame, organizado pelo Secretariado Permanente do Fórum de Macau, denomina-se Expo Macau 2018 e tem como palco o Edifício do Antigo Tribunal e junta um leque diversificado de atracções, desde espectáculos de música, dança, artes cénicas e plásticas, de vários países da lusofonia e não só. O efeito estufa é uma das consequências das práticas dos homens que têm de ser revertidas para salvar o planeta da seca extrema e das inundações”, segundo o alerta do artista.

O artista

Guilherme Mampuya viajou por mais de 30 exposições individuais e colectivas, tanto no país, como no estrangeiro. Foi galardoado com prémio Ensa Arte em 2008 e há dois anos é proprietário da Galeria Guilherme Mampuya, localizada no Zango Zero, em Luanda. Nascido na província do Uíge, Guilherme Mampuya Wola concluiu a formação superior em Direito pela Universidade de Kinshasa, na República Democrática do Congo (RDC), em 2000. Em 2002, ingressou no curso de Pintura Básica no atelier de Avelino Kenga, tendo mais tarde aperfeiçoado as técnicas do retrato no atelier de pintura do artista Honesto Nkulu, em Luanda. Em 2005 tornou-se membro da União dos Artistas Plásticos Angolanos (UNAP) e em 2006 deu início ao seu percurso artístico com frequência anual, com destaque para as exposições em Luanda, em Benguela, em Lisboa, Aveiro, em São Paulo, em Bruxelas, em Milano e em Seul. Após realização do seu sonho de construir uma galeria de arte, Guilherme iniciou uma nova fase da sua vida com o lançamento e apoio de jovens talentos ao mundo das artes plásticas. Constam nesta lista os artistas Isaac Pinto de Almeida, Sombra Andgraf, Serafim Serlon, Denise Luís, Uólofe, Jean Di Mampuya, Nehemias Kiala, Osvaldo Ferreira, Landrick Lusinga, Tadece, David e José Ndombele.