Ministério da Cultura prepara V Mesa Redonda sobre Mbanza Kongo

A informação foi avançada em Brazzaville, capital do Congo no Colóquio Científico Internacional sobre o Reino do Kongo.

O Ministério da Cultura tem previsto para 2019 a realização da V Mesa Redonda Internacional sobre Mbanza Kongo e o FestiKongo, no âmbito do programa de divulgação e valorização do Património Mundial, anunciou em Brazzaville, a secretaria de Estado da Cultura, Maria da Piedade de Jesus A governante, que falava no Colóquio Científico Internacional sobre o Reino do Kongo, em Brazzaville, adiantou que o FestiKongo foi concebido como uma vitrina para a exposição de toda a riqueza e diversidade cultural do povo Kongo. Maria da Piedade de Jesus destacou a necessidade de um esforço conjunto das autoridades políticas, peritos, gestores dos diferentes sítios do Antigo Reino do Kongo, dos Povos Kongo e toda humanidade para a manutenção dos atributos do valor Universal Excepcional do sítio, cujo desafio é o reforço do diálogo inter cultural entre os Povos Kongo.

O objectivo é o de promover uma cultura de paz e harmonia social e sobretudo, melhorar as condições de vida das populações locais. Para governante, a história do antigo Reino do Kongo, assim como certos aspectos da sua organização sócio política e económica não são ainda totalmente conhecidas, embora existem estudos feitos sobre o Reino do Kongo, factor que limita o conhecimento das riquezas e diversidade cultural deste importante reino fundando no Século XIII pelo Rei Nimi a Lukeni.

Recordou que é na dinâmica da procura das respostas e soluções adequadas a essa profunda problemática cultural que o Governo angolano, em colaboração com outros países que partilham o espaço do antigo reino do Kongo e os parceiros como a UNESCO e o Fundo para o Património Mundial Africano, conseguiram escrever Mbanza Kongo, em 2017, na lista do Património mundial. Avançou que a inscrição desse sítio representa uma vitória não só para todos os povos que partilham o espaço cultural Kongo, mas para toda humanidade. Angola montou no local do evento uma exposição fotográfica que apresenta uma síntese da riqueza e diversidade cultural sobre o Reino do Kongo em todas as suas dimensões culturais, materiais e imateriais, na sua extensão geo-política e cultural com a diáspora e sua organização socio-política e económica.