loader

Kabuscorp deve cinco milhões de kwanzas

A formação do Palanca, para a época que terminou, contratou por um ano o prepardor físico e fisioterapeuta de nacionalidade cubana Eduardo Ramón, mas a direcção ainda não honrou as luvas contratuais, segundo fontes ligadas ao processo

Texto de: Sebastião Felix

A direcção do Kabuscorp do Palanca deve cerca de cinco milhões kwanzas ao preparador físico e fisioterapeuta Eduardo Ramón, segundo fontes daquele clube. O profissional de nacionalidade cubana assinou contrato de um ano com a formação presidida por Bento Kangamba para a época 2018.

No entanto, o preparador físico e fisioterapeuta recebeu somente 600 mil kwanzas das luvas contratuais no início da temporada em que o 1º de Agosto conquistou o tricampeonato. Da direcção do Kabuscorp, como é evidente, Eduardo Ramón recebeu mais 350 mil kwanzas como subsídio da pré-época.

Desde que terminou o Girabola Zap, a direcção do Kabuscorp do Palanca não resolve a questão financeira do prepador físico e fisioterapeuta. Por esta razão, corre o risco de ser despejado da casa onde vive nos Combatentes, uma vez que a renda já venceu. Eduardo Ramón não paga renda há dois meses, facto que preocupa o senhorio e demais pessoas que o acompanham.

Como um azar não vem só, de acordo com as fontes deste jornal, Ramon estava a contas com um paludismo avançado. Por esta razão, teve que fazer empréstimo para custear a medicação, bem como a alimentação para a sua recuperação.

“O preparador físico já não sabe o que fazer, porque os dirigentes do Kabuscorp do Palanca continuam a dar bailes e paga-lhe não mais de 80 mil kwanzas por mês”, assegurou a fonte. Em Angola há seis anos, Ramón já trabalhou para o Benfica do Huambo, Bravos do Maquis e 1º de Maio de Benguela. O jornal O PAÍS fez todos os contactos para falar coma direcção do Kabuscorp do Palanca, mas sem sucesso.

Últimas Notícias