Responsáveis da Caixa Social das FAA no Namibe investigados na PG R

Altos responsáveis da Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas (CSS/FAA) no Namibe estão a ser investigados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) naquela província, pelo seu suposto envolvimento no descaminho de avultadas somas de dinheiro

POR: João Katombela, no Namibe

A informação foi avançada pelo Sub-procurador-Geral da República Titular no Namibe, Pedro Fonseca, informando que tais responsáveis, cujos nomes evitou revelar, terão dado destino impróprio aos dinheiros que serviriam para o pagamento de pensões a órfãos, viúvas e para a execução de alguns projectos sociais. Pedro Fonseca revelou que o processo já se encontra numa fase bastante avançada de instrução preparatória e dentro de pouco tempo será introduzido em juízo para a respectiva acusação.

O Magistrado do Ministério Público não avançou o período em que terá sido cometido o suposto crime de peculato, nem o valor desviado, referindo apenas haver fortes indícios de cometimento do crime. “As investigações estão bastante avançadas e o processo envolve altos responsáveis da Caixa Social das FAA e encontra-se na fase derradeira de instrução preparatória”, informou. Por outro lado, Pedro Fonseca revelou que estão igualmente em curso outras investigações em vários sectores da vida sócio-económica desta província do litoral, com destaque para a delegação das Finanças, Saúde e Educação.

O sub-procurador-geral da República titular, disse que entre os crimes que mais preocupam a PGR no Namibe sobressaem a fuga ao fisco. “Não posso precisar agora o número de processos que nós temos sobre o peculato aqui no Namibe, mas o certo é que existem muitos, e alguns dos quais já em fase bastante avançada de instrução preparatória, com realce deste que envolve os responsáveis da Caixa Social das FAA”, afirmou. Pedro Fonseca assegurou que a PGR vai “apertar o cerco” a todos os gestores públicos e privados que durante o exercício das suas funções terão cometido qualquer crime. Para esta missão, segundo Pedro da Fonseca, a PGR conta com o apoio dos magistrados de todos os municípios da província do Namibe e com os serviços de Investigação Criminal (SIC) ede Migração e Estrangeiros do Ministério do Interior(MININT).