loader

Agente do SIC dispara mortalmente contra um cidadão

Os moradores do bairro Vila Matilde, arredores da cidade de Malanje, viram-se surpreendidos com a morte de um jovem, abatido a tiro, no Domingo, 07, por um agente do Serviço de Investigação Criminal (SIC)

POR: Miguel José, em Malanje

A vítima, de 24 anos de idade, que em vida se chamava Pedro Benedito, foi alvejada na região torácica por um disparo de pistola, quando tentava meter-se em fuga, após ter sido convidado a acompanhar os agentes da Polícia até ao piquete, na sequência de uma acção punitiva destes últimos, segundo declarou o porta-voz do SIC Malanje, o superintendente Lindo Ngola. O oficial explicou que o episódio aconteceu às 6 horas, após uma denúncia que fez deslocar especialistas da SIC para acudir a um cidadão que estava a ser agredido com objectos contundentes e lhe tinham sido retirados alguns pertences.

Porém, no local da ocorrência, o presumível autor do crime, ao deparar-se com os agentes, tentou a fuga e no sentido de evitar que a mesma se efectivasse, um dos agentes efectuou um disparo que atingiu o rapaz, com uma bala no peito. “Logo de imediato foi levado ao Hospital Regional de Malanje, para o devido socorro, mas o jovem não resistiu”, lamentou. Contudo, o porta-voz confirmou que o agente em causa está detido e a direcção provincial do órgão, face ao sucedido, endereça os sentimentos de pesar à família e apela à calma, deixando o caso entregue à responsabilidade dos órgãos de justiça, de forma a que se dê o devido tratamento e o consequente andamento ao processo- crime.

Familiares clamam por justiça

Os familiares, consternados com o desaparecimento prematuro do seu ente-querido acusaram os agentes do SIC de violarem os procedimentos da Polícia por, alegadamente, usarem a força contra uma pessoa errada. “O meu cunhado não fez nada. Só queremos que se faça justiça”, clamava a esposa do irmão mais-velho da vítima, Catarina Mendonça. O avô, Félix Sebastião, também inconformado, contrariou os argumentos do SIC, dizendo que o seu neto não roubou e, ainda que o tivesse feito, a missão da Polícia seria recolhê-lo para submetê- lo à justiça, ao invés de matá-lo. “O SIC diz que ele lutou e roubou. Mas o agente que disparou sabe que o meu neto não fez nada. Então queremos justiça”, apelou. Entretanto, em virtude do acontecimento a delegação do Interior fez difundir um comunicado de imprensa que, em linhas gerais, repudia a postura do agente do SIC e promete tudo fazer para ver o caso esclarecido tão breve quanto possível.

Últimas Notícias