Fim da dupla tributação com a China vai aumentar exportações

O Presidente da República, João Lourenço, encontra-se na China desde ontem, Segunda-feira, 08, para efectuar diversos acordos, entre os quais, o fim da dupla tributação que irá aumentar o volume das exportações entre os dois países, como sublinha Arnaldo Calado, da Câmara de Comércio.

Vários acordos serão assinados entre a China e Angola, o que permitirá o aumento das trocas comerciais e mais investimentos de empresas chinesas no país, de modo a alavancar a economia nacional. Segundo o presidente da Câmara de Comércio Angola/China (CAC), Manuel Arnaldo de Sousa Calado, a visita do Presidente de Angola à China é indispensável, numa altura em que esse país pode ser considerado a “janela aberta” para apoiar muitos países, principalmente os africanos. “ É oportuna a visita do Presidente da República à China, depois do fórum China/Africa, aonde foram assinados alguns acordos, e outros serão concretizados para apoiar as necessidades do país no quadro da política chinesa“, referiu.

Questionado sobre os sectores que merecem a intervenção dos empresários chineses, Arnaldo Calado referiu que o essencial seria que houvesse dois caminhos, o institucional, que é a ligação entre os dois Governos, e o privado, ou seja, investir em projectos privados. Segundo Arnaldo Calado, no que toca à parte privada seriam feitos os acordos directos entre as empresas, de modo a fazer funcionar a economia privada e empresas estatais. “Precisamos que os empresários chineses venham a Angola e cubram as nossas necessidades actuais, sobretudo com uma visão estratégica para o futuro”, defende. Em relação ao acordo do fim da dupla tributação, Arnado Calado referiu que o mesmo vai facilitar aos empresários, entre os dois países, e aumentar o volume de produtos exportados e vice-versa. “Há muitos produtos nacionais que são exportados para China, tal como, madeira, diamantes, panos africanos e outros, e estão a ser bem aceites”, explica.

Produtos exportados

O gigante asiático tem em Angola, entre os países de expressão portuguesa em África, um dos seus principais parceiros. Os chineses exportam para Angola material de construção, máquinas, e até já possuem uma linha de montagem de viaturas. De forma geral, os chineses estão em todas as áreas, mas o foco está na construção civil.

Relação de cooperação

A cooperação económica com a China data de 1983. De lá para cá, foram movimentados milhares de dólares, sobretudo daquele país da Asia para Angola. Neste sentido, importa lembrar que a China impulsionou o processo de Reconstrução Nacional em Angola, iniciado logo depois do fim do conflito armado, em 2002.