loader

Carta do leitor:As minhas queixas

Caro director, Até parece que este espaço da carta do leitor do jornal OPAÍS é um verdadeiro parlamento, onde o povo pode expor tudo, sem qualquer problema e as autoridades podem ouvir (ler) aquilo que o povo tem a dizer. Por isso mesmo também quero falar aqui de algumas coisas que me preocupam.

POR: Zeferino Miguel
Luanda

Quando uma cidade como Luanda fica sem os semáforos e ninguém diz nada, fico preocupado, não gosto. Quando na mesma cidade muita gente morre de malária, fico até furioso, porque vejo os carros de fumo nas zonas urbanas como Talatona, mas não vejo nenhum carro de fumo na Fubu ou no Catinton, onde estão as lavras de mosquitos. Estão a trocar tudo. Agora os nossos deputados estão de férias, acho que têm muitas férias, se compararmos com aquilo que fazem e ganham. Também quero dizer que na minha casa, no Chimbicato, temos água só de manhã. E mesmo assim não é sempre. Banho de chuveiro só uma ou duas vezes por mês, se a água vem com boa força e tem de ser rápido, porque só demora umas duas a três horas. Depois é só rezar para voltar a vir no dia seguinte. Assim como a luz, embora agora falte menos, graças a Deus. Mas não posso falar só de mim, quero também falar dos outros, de todos nós. O Governo não assume, mas o problema está aí mesmo, não podemos tratar os nossos documentos. Não há cartas de condução, há poucos bilhetes de Identidade, às vezes só com cunha e também os passaportes nada. Assim, sem estes documentos, posso mesmo dizer que sou cidadão? Já está na hora do Governo assumir que estes documentos não estão a ser entregues aos cidadãos e, portanto, fica difícil combater a corrupção e diversificar a economia, porque sem bilhete de identidade não podemos fazer nada. Estas são as minhas queixas neste parlamento do jornal.

Últimas Notícias