Queda de poste de alta tensão deixa 12 mil famílias sem energia no Sequele

O poste de alta tensão que transporta energia eléctrica à Centralidade do Sequele e a um bairro adjacente, Maié-Maié, caiu, como resultado de um saque de materiais que sustentam a sua base. Em consequência disso, mais de 12 mil famílias ficarão sem energia nos próximos dias.

A vandalização da torre foi motivado pela procura do lucro fácil por alguns cidadãos que vendem cobre. Segundo o porta-voz da ENDE, Pedro Bila, em entrevista concedida ao jornal OPAÍS, essa situação deixará 12 mil famílias sem energia, no Sequele. Para além da centralidade, estão às escuras os moradores de um bairro adjacente, denominado Maié-Maié. “Enquanto não repararmos a torre, que é um trabalho muito difícil, vai levar algum tempo, não podemos precisar ainda o período, mas acreditamos que muito rapidamente isso será ultrapassado”, disse. O porta-voz da ENDE lamenta o sucedido e apela aos munícipes da capital maior vigilância e a denunciar os prevaricadores que danificam bens públicos, como estes, em busca de cobre, o que faz com que a torre perca a consistência e caia.

“São torres metálicas e os saqueadores desmontaram as travessas e a torre perdeu a sustentação da base e caiu. Na queda, danificou os condutores no seu todo. Tudo por causa do lucro fácil, e, como agora é o hábito, venderem o material metálico, não medem o grande prejuízo que estão a provocar ao país”, acrescentou. Importa frisar que a Polícia em Luanda recuperou no mês de Julho cerca de 71 contentores contendo cabos elétricos e material ferroso avaliado em mais de 50 milhões de Kwanzas durante a operação que denominou de “Corvo”.

Na ocasião, o inspector–chefe Lázaro da Conceição, chefe das operações do Comando Provincial de Luanda, destacou que o flagrante delito ocorreu no mercado dos correios , no Golf II , município de Kilamba-Kiaxi, onde os acusados foram surpreendidos a comercializar as respectivas mercadorias. Ainda em Agosto último, homens não identificados roubaram os cabos elétricos e um posto de transformação (PT) e vandalizaram um gerador que servia de suporte à iluminação pública na Baia de Luanda . Práticas como estas têm-se verificado com frequência na cidade de Luanda e nos últimos dias ganham força, prejudicando assim milhares de famílias.