Palancas retidos sete horas no aeroporto da mauritânia

A delegação da Selecção Nacional de futebol ficou, ontem, sete horas retida no aeroporto de Nouakchott, mauritânia, adversário de Terça-feira dos Palancas Negras, porque os funcionários da imigração e estrangeiros daquele país não se encontravam no local

Texto de: Mário Silva

A delegação da Selecção Nacional de futebol e um grupo de jornalistas ficaram, ontem, retidos sete horas no aeroporto internacional da cidade de Nouakchott, Mauritânia. Os funcionários da imigração e estrangeiros daquele país não se encontravam no local de trabalho para os procedimentos migratórios da delegação angolana.

Deste modo, o combinado Mourabitones lamentavelmente começou com o jogo de bastidores para criar alguma instabilidade no seio dos pupilos de Srdjan Vasilevic. Apesar do ‘pesadelo’ vivido, os Palancas Negras realizam hoje uma sessão de treinos de modo a recuperar a condição física, bem como corrigir os erros cometidos no desafio da passada Sexta-feira, em que golearam, por quatro bolas a uma, a Mauritânia, no Estádio 11 de Novembro, em Luanda.

A sessão de hoje visa aprimorar os aspectos técnicos e tácticos para ultrapassar a Mauritânia Terçafeira, às 17:00, em jogo referente à segunda volta e quarta jornada do grupo I de apuramento ao Campeonato Africano das Nações (CAN), em 2019. Para conseguir uma vitória na casa do adversário, quiçá, repetir a goleada de 4-1, algo difícil, mas não impossível, Gelson Dala e companheiros terão que redobrar os esforços nos treinos.