Tribunal de Contas passa “à pente fino” os arquivos da CSSFAA

Há suspeitas de descaminho de documentos “com conteúdos eventualmente comprometedores”.

Equipas de peritos do Tribunal de Contas (TC) estão a “vasculhar” os arquivos da Caixa de Segurança Social da Forças Armadas Angolanas (CSSFAA) com o intuito de aferir a veracidade das denúncias sobre má gestão dos fundos do Estado alocados à instituição nos últimos quatro anos. Uma fonte interna do TC fez saber a OPAÍS que a inspecção vai decorrer até ao mês de Novembro próximo, devendo estender-se a todas as dependências da CSSFAA espalhadas pelo país.

Segundo a fonte, para além da equipa que já trabalha na direcção nacional do órgão, na última Sexta- feira um outro grupo de inspectores do TC foi “despachado” para a sede provincial em Luanda, onde decorre, actualmente, o processo de actualização e inserção de novos pensionistas. A fonte referiu que nos anos anteriores a CSSFAA funcionou, supostamente, como um verdadeiro “saco azul” para muitas figuras públicas do país, a começar por altas patentes da FAA, tanto no activo como na reforma.

As anteriores direcções do órgão, afecto ao Ministério da Defesa, são apontadas como tendo gerido a instituição a seu bel-prazer, tendo concedido créditos não regulamentados e introduzido nas folhas de pagamento de pensões de reforma o nome de cidadãos que nunca pertenceram às FAA, nem às forças militares da UNITA ou da FNLA, entre outras irregularidades. A fonte não descartou a possibilidade de virem a ser responsabilizados muitos responsáveis e quadros da CSSFA se e se confirmar estarem implicados em práticas condenadas por lei. A fonte sustentou a sua afirmação com a denúncia de que alguns documentos “eventualmente comprometedores sumiram dos arquivos da CSSFAA”.