loader

Marginais detidos após assaltarem Finibanco

Três supostos marginais foram detidos, na manhã de ontem, minutos depois de terem assaltado a agência do Finibanco da Mulemba, em Luanda, da qual subtraíram elevadas quantias monetárias em valores que não foram revelados pela Polícia.

Por volta das 12 horas, a equipa de reportagem de OPAÍS encontrou no interior da referida agência uma equipa de peritos forenses do Laboratório Central de Criminalística a fazer a perícia, enquanto os marginais eram interrogados. A acompanhar os serviços estiveram algumas das funcionárias da agência que ainda se encontravam em estado de choque. Segundo apurou este jornal, após imobilizarem os guardas, os marginais, por volta das 10h00, empunhando armas de fogo, locupletaram- se dos valores monetários que existiam nos caixas e não só e se meteram em fuga.

De imediato, a ocorrência foi comunicada aos efectivos do Comando de Divisão da Polícia do Cazenga que fez deslocar ao local alguns peritos do Serviço Provincial de Investigação Criminal (SPIC). Através de um trabalho apurado, de acordo com as nossas fontes, conseguiram apanham os marginais com os valores monetários antes mesmo que tivessem feito a sua divisão entre si. No entanto, os investigadores trabalham para apurar se os marginais terão contado com a colaboração dos seguranças ou de algum funcionário da agência para concretizar a operação. Nos próximos dias serão apresentados ao representante do Ministério Público nesta unidade para formalizar a sua detenção. O intendente Mateus Rodrigues confirmou a ocorrência, tendo esclarecido que apreendera, dos marginais, quatro armas de fogo e uma viatura. No final da noite de ontem, a Polícia estimava terem sido recuperados 900 mil Kwanzas e que existem dois foragidos.

Três agentes do Estado detidos por extorsão

A Polícia deteve dois membros da corporação e um do Serviço de Migração e Estrangeiros suspeitos de cometerem o crime de extorsão concorrido com roubo qualificado contra Abasse Diallo, de 38 anos, de nacionalidade eritreia. Os agentes do Estado, com idades compreendidas entre os 25 e os 34 anos, terão cometido esse delito na padaria do grupo Babara, localizada no bairro Malueca, distrito Urbano do Mulevos. Os acusados dissidiram “fazer mau uso das faculdades que lhe são designadas extorquindo o cidadão em causa e a roubar bens de sua pertença”, disse Mateus Rodrigues. Além deles, a Polícia deteve um enfermeiro de 22 anos que se fazia passar por efectivo das Forças Armadas Angolana (FAA) com possibilidade de empregar pessoas na função pública, em troca de somas monetárias.

 

Últimas Notícias