loader

Polícia mata supostos marginais após esfaquearem jovem de 32 anos

Um jovem de 32 anos morreu após ser esfaqueado dentro da sua residência por um grupo de marginais. Adilson dos Santos Rosa, como era conhecido, perdeu a vida à caminho do hospital.

Dois supostos marginais foram alvejados mortalmente por efectivos da Polícia Nacional, na manhã de ontem, no bairro Mussende, em Viana, após esfaquearem o cidadão Adilson dos Santos Rosa, diante da sua própria família. Neste caso, segundo dados preliminares da Polícia, estão envolvidos cincos supostos marginais que invadiram a residência da vítima, empunhando armas de fogo, por voltas das 2horas, presumivelmente com o objectivo de roubarem os seus bens materiais. Durante o assalto, os prevaricadores mantiveram os membros desta família reféns, sob agressões, tentativa de violação, entre outras sevícias.

Depois de tudo isso, meteram- se em fuga levando consigo cinco telemóveis e uma motorizada de marca KTM, de cor preta. Para surpresa dos marginais, dois deles, que seguiam na referida motorizada roubada, cruzaram-se com uma viatura da Polícia Nacional que por aí circulava. Como que em desespero, terão disparado contra os agentes da Ordem, tendo estes respondido na mesma proporção. “As forças policiais responderam, resultando na morte, no local, dos dois suspeitos”, lê-se num comunicado de imprensa divulgado ontem pelo Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da Delegação do Ministério do Interior em Luanda. No local, a Polícia apreendeu a motorizada roubada, a arma de fogo em posse dos marginais e a faca utilizada no crime. Depois do sucedido foram acionados outros efectivos da Polícia e do Serviço de Investigação Criminal (SIC) que realizaram uma micro-operação pelo referido bairro, situado na zona do Cazombo, Distrito de Kicuxi, que resultou na recuperação de dois telemóveis dos cinco roubados.

Em entrevista a OPAÍS, o intendente Mateus Rodrigues disse que detiveram um dos três suspeitos em fuga no momento em que tentava comercializar os telemóveis roubados no mercado informal dos “Congolenses”, no distrito Urbano do Rangel. Solicitado a prestar mais informações sobre a ocorrência, como a parte do corpo em que Adilson Rosa foi esfaqueado, o director do referido gabinete optou por não avançar mais dados, alegadamente para não atrapalhar as investigações. “As acções de investigação prosseguem para o esclarecimento total dos crimes, recuperação dos outros meios roubados e detenção dos demais suspeitos implicados nos crimes”, diz no comunicado. O intendente Mateus Rodrigues explicou que as investigações estão a ser feitas no sentido de apurar se os mesmos suspeitos têm antecedentes criminais.

Últimas Notícias