Nelo Teixeira expõe “Muro Vermelho” amanhã no Espaço Luanda Arte

A mostra faz parte da memória colectiva não só da Chicala, em Luanda, mas também de todos os angolanos e ficará patente até ao público até 30 de Janeiro de 2019, no ELA, podendo ser visitada por marcação telefónica

Texto de: Augusto Nunes 

“Muro Vermelho”, a nova exposição individual do artista plástico Nelo Teixeira, será inaugurada amanha, Sexta-feira, 26, às 18 horas, no ELA – Espaço Luanda Arte em Luanda. A mostra reúne um conjunto de obras resultantes de uma residência artística na galeria do ELA – Espaço Luanda Arte, iniciada em Julho deste ano, tendo a preparação da exposição levado cerca de 3 meses.

A exposição retrata a destruição das casas da Chicala e a “gentrificação” de alguns bairros tipo musseque de Luanda, que foram muito importantes ao nível social. A colecção recupera o período em que havia um muro vermelho à volta destas habitações chamadas clandestinas, nas que, na verdade, albergavam pessoas e famílias havia mais de 20 anos.

Os habitantes eram “prisioneiros” no seu bairro e, para lhes ser permitido sair de casa tinham que bater na chapa. As obras neste projecto “Muro Vermelho” foram produzidas a partir de recortes, rasgos, colagens e camadas de ideogramas – enfim, relatos visuais e fragmentos de memória deste importante bairro, que foram vivenciados pelo artista, e ficaram registados em acervos pessoais.

O muro recriado viabiliza o acesso a algumas dessas imagens, potencializando a sua visualidade, ao trazer à superfície as lembranças de um tempo passado. O Muro Vermelho faz parte da memória colectiva, não só da Chicala em Luanda, mas de todos os Angolanos”.

Dominick Tanner, produtor e comissário desta exposição, em conversa com OPAÍS referiu que nesta Chicala de tempos passados o artista expõe algo que a cidade de Luanda não preservou, e os mais jovens não têm conhecimento, ou esqueceram: um Muro Vermelho de chapa cor de sangue que, cercando as habitações, escondia a destruição das casas, e, simultaneamente, encarcerava os seus habitantes.

Percurso do artista Nascido em Mbanza Congo, província do Zaire, em 1974, Nelo Teixeira é carpinteiro e artista auto-didacta. Trabalha com materiais reciclados devido à influência do tio. Desde a década de 1990 integra o grupo “Os Nacionalistas”, e é membro da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP) desde 1996. Reside no bairro da Chicala desde 1993, onde criou o atelier “Só Bumba”, que tem desenvolvido parcerias com vários movimentos artísticos e projectos solidários.

Mostrou-se regularmente desde 2000 em várias exposições colectivas na Celamar, Humbiumbi, Elinga Teatro, Soso Arte Contemporânea e Associação 25 de Abril e BAI Arte, e desenvolveu cenografias para várias peças de teatro e filmes de cinema. Em 2013 participou na Exposição Colectiva resultante da 2ª Edição da Residência Artística “(JAANGO) Nacional”, em Luanda.

No mesmo ano fez parte da 3ª Edição da “Ponte Cultural Angola-Israel”, um intercâmbio cultural na cidade de Tel Aviv, que consistiu num conservatório entitulado “Danalogue” em prol do trabalho e do diálogo comunitário, em memória da jovem voluntária Dana Maor, e onde fez parte de uma Exposição Colectiva.