Atlantico “fora de portas” para sentir a economia

A administração do Banco Millennium Atlântico efectuou na última semana visitas às províncias do Moxico, Cuando Cubango e Bié. O objectivo foi de, “in loco”, constatar junto dos clientes as suas preocupações no actual contexto económico e cambia.

O Atlântico é o Banco de capitais privados com a maior carteira de crédito concedida a economia. É igualmente o Banco que mais financiou ao abrigo do programa Angola Investe Os representantes dos governos das províncias visitadas manifestaram-se bastante satisfeitos com a disponibilidade do Banco em ir ao terreno perceber o que mais pode ser feito para ajudar a classe empresarial de cada uma regiões e ajudar a alavancar os respectivos sectores produtivos e prover financiamento para a exploração das enormes potencialidades locais.

O Banco aproveitou, como já efectuou antes nas províncias do Cuanza-Sul, Benguela, Namibe, e Huíla para perceber as inquietações dos empresários, em alguns casos e o grau de implantação de alguns projectos financiados pelo Atlântico. Segundo Daniel Santos, presidente da Comissão Executiva do Banco, uma coisa é analisar uma proposta de financiamento em Luanda, outra, muito diferente e mais assertiva, é ir ao terreno e verificar os projectos e os locais onde os mesmos serão implementados.

As denominadas “Comissão Executiva Fora de Portas” servem igualmente para dialogar com as autoridades locais, estreitar laços, perceber quais os grandes projectos de investimento para a província, quais os sectores prioritários, as potencialidades locais e juntos estabelecerem parcerias. A administração aproveita a reunir os colaboradores colocados nas agências das referidas províncias para juntos trocarem impressões sobre os desafios locais e num ambiente menos formal aproximarem ideias e metodologias para o sucesso da implementação do seu plano estratégico.