Editorial: Resgastes

O Executivo vai repor a autoridade do Estado mediante a redução dos principais factores que desencadeiam a desordem, insegurança pública e violência urbana e rural, no quadro da Operação Resgate, assegurou o ministro do Interior, Ângelo da Veigas Tavares. A notícia assim iniciada é da Angop e é difícil de engolir como está posta. Por um lado, o Estado nunca deveria ter perdido a sua autoridade seja em que área for. Por outro lado, os factores que desencadeiam os males não são necessariamente tratados pela Polícia, esta ataca as consequências, as causas toda a gente as conhece. As coisas podem até se acalmar no Natal, mas não serão resolvidas. E depois terá de haver novos resgastes.