Ministro da Economia garante apoio à agricultura familiar na Huíla

A província da Huíla faz parte do triângulo do milho, a par das outras do planalto central. Nesta província existe o maior número da população feminina, a rondar os 17,9 por cento do total nacional, que se dedica à agricultura e outras actividades primárias

POR: João Katombela, na Huíla

O Governo central vai prestar maior apoio à agricultura familiar na província da Huíla, segundo garantias dadas no município do Lubango pelo ministro da Economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca, durante a realização do primeiro Colóquio do Milho. Destacando a importância deste sector, Pedro Luís Fonseca disse que, para o efeito a província, já se encontra no centro de alguns eixos estratégicos de Desenvolvimento Nacional, nomeadamente o apoio decisivo à agricultura tradicional e familiar. “A agricultura familiar tem um papel fundamental em duas áreas: na económica acaba por ser um dos eixos de partida para o sucesso dos modelos de substituição de importações e de diversificação da economia.

Os produtos primários acabam por ser o ponto de partida para o acréscimo do valor agregado nacional, através da sua transformação”, disse. O ministro da Economia garantiu que os apoios do Governo ao sector da agricultura vão cingir-se na facilidade da concessão de créditos aos homens do campo. O responsável ministerial, reconhece que do ponto de vista social, a agricultura familiar contribui de um modo geral para a melhoria das condições de vida das populações, bem como na redução da pobreza e a distribuição do rendimento nacional. Segundo explicou, a representatividade do sector primário do Produto Interno Bruto (PIB) não vai para além dos 6,1%, o que constitui uma dificuldade para a economia nacional. Dada a sua importância da dieta alimentar dos povos em Angola, Pedro Luís Fonseca, defende a realização de mais acções viradas para a sua melhoria no que toca a produção.

“As acções a desenvolver devem visar, fundamentalmente, o aumento da produção unitária da cultura do milho, através da melhoria da assistência técnica, da utilização de cultivares mais produtivos, da crescente utilização de factores de produção”, explicou. O primeiro coloquio do milho foi organizado pelo Governo Provincial da Huíla, em parceria com a Universidade Mandume Ya Ndemufayo. Este evento teve, entre outros objectivos, o fomento da produção do milho na província, a promoção da produção de sementes nos principais municípios produtores agrícolas. Por seu turno, o governador Provincial da Huíla, Luís da Fonseca Nunes, afirmou que o coloquio vai permitir o aumento da produção do cereal e contribuir na redução das importações do produto. “A região do triângulo do milho na província apresenta-se como grande potencial do desenvolvimento, que a ser devidamente explorado, permitirá o aumento da produção e contribuirá substancialmente para o processo de redução das importações” assegurou. A Huíla é a província mais rural de todo o território nacional, em termos de população dedicada às actividades primárias e agrícolas, com 17,7 por cento da população rural total do país, seguida pelas províncias do Cuanza- Sul e do Huambo, com 11, 2 e 12,2 por cento, respectivamente.

Cunene acolhe Acto Central da Independência Nacional

A cidade de Ondjiva, sede capital da província do Cunene, acolhe o acto central do 43ª aniversário da Independência nacional, a assinalar-se no próximo dia 11 de Novembro. A informação foi prestada pela governadora interina, Albertina Teresa José, durante o acto de abertura das jornadas alusivas ao Dia da Independência Nacional. Na ocasião, Albertina José destacou a importância da data, tendo ressaltado o empenho de milhares de angolanos e a figura do fundador da Nação, António Agostinho Neto. Este ano, as celebrações do 11 de Novembro decorrem sob o lema “Unidos na Construção de Uma Angola Melhor”. A jornada reserva inaugurações de empreendimentos sociais e económicos, palestras, realização de culto ecuménico, bem como actividades musico-culturais e desportivas, entre outras.