Ligações aéreas a Cabo Verde vão facilitar trocas comerciais

Nos próximos dois meses, a ligação aérea Angola/Cabo Verde vai ser retomada. Neste momento, os aspectos técnicos estão a ser concluídos. A ligação entre os dois países irá facilitar as trocas comercias e as exportações de produtos agrícolas, segundo o economista João Zumba.

A ligação aérea Angola/Cabo Verde vai ser retomada, garantiu recentemente o ministro dos Transportes, Ricardo Viegas D’Abreu depois do encontro que manteve, na cidade da Praia, com o primeiro-ministro caboverdiano, Ulisses Correia, com quem abordou questões associadas à aviação civil e transportes aéreos. De acordo com o economista João Zumba, Angola tem interesses económicos no país caboverdiano, no entanto, a retomada dos voos para o referido país irá facilitar o intercâmbio comercial, de modo a expandir actividade económica.

Na sua opinião, o país poderá exportar diversos produtos, principalmente no sector agrícola, nomeadamente milho, feijão, batata-doce e rena e outros produtos. “Angola tem muitos produtos agrícolas que poderão ser exportados para Cabo Verde para aumentar as receitas fiscais, enquanto os empresários caboverdianos podem investir no país na área do turismo “, referiu Por outro lado, os voos para Cabo Verde irão facilitar a entrada de outros mercados, como é o caso de Cuba. Ricardo Viegas D’Abreu adiantou que os aviões da TAAG não irão fazer a ligação com São Tomé e Príncipe, como acontecia anteriormente. O ministro angolano confirmou ainda o estabelecimento de uma parceria comercial entre as duas companhias aéreas e acrescentou que a prioridade do destino dos primeiros voos será a ilha do Sal e que só num segundo momento será pensado o destino Praia.

As importações de África para Cabo Verde aumentaram cerca de 43,3%

Em 2017, as importações de África para Cabo Verde aumentaram cerca de 43,3 por cento, no período em análise, enquanto os restantes continentes, América e Ásia, evoluíram positivamente com 5,2 e 22,2 por cento, respectivamente. A Espanha é o principal cliente de Cabo Verde, representou cerca de 70,8 por cento do total das exportações, em 2017. Ainda assim, as exportações cabo-verdianas para esse país tiveram uma evolução negativa (menos 19,9 por cento), comparativamente ao ano de 2016.