Presidentes da Rússia e EUA não se reúnem em Paris por questões de agenda

Os dois presidentes não vão estar presentes nas cerimónias que comemoram o fim da Primeira Guerra Mundial. O encontro entre ambos terá lugar na cimeira do G20, na Argentina, no final do mês.

Os presidentes Vladimir Putin, da Rússia, e Donald Trump, dos Estados Unidos, não se vão reunir à margem das cerimónias do fim da Primeira Guerra Mundial, que ocorrem no final desta semana em Paris, confirmou ontem Terça-feira, 6, o Kremlin. O porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov, disse à imprensa local que, entretanto, aproveitarão estas cerimónias para “chegar a um acordo sobre o próximo encontro”. “Em Paris estarão muitos chefes de Estado e de Governo que terão uma agenda muito apertada, com muitos eventos oficiais e de protocolo”, disse o porta-voz.

Donald Trump já havia anunciado na Segunda-feira que “provavelmente” não se iria encontrar com o seu homólogo russo em Paris e que o encontro entre ambos teria lugar na cimeira do G20, na Argentina, no final do mês. Segundo o porta-voz do Kremlin, “efectivamente, chegou-se a um acordo de que seria complicado realizar uma cimeira” em Paris, mas ambos os mandatários vão ver-se “de uma outra forma” para falar da sua próxima reunião, que possivelmente será realizada em Buenos Aires, na Argentina, durante o encontro do G20.

Putin e Trump estarão presentes no dia 11 de Novembro em Paris para as cerimónias do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial, convidados pelo Presidente francês, Emmanuel Macron, e especulou- se sobre um breve encontro bilateral na capital francesa. Os dois mandatários viram-se pela primeira vez na última cimeira do G20, que aconteceu em Julho de 2017 na cidade de Hamburgo, tendo realizado uma única cimeira um ano depois, em Helsínquia. Previamente, o Kremlin já havia adiantado que Putin e Trump não poderiam ter uma reunião alargada em Paris, diferente do encontro “prolongado e substancioso” que se planeia para Buenos Aires.