Receitas petrolíferas podem atingir USD 15 mil milhões até final do ano

A administração Geral Tributaria (AGT) prevê um aumento de 15,46 mil milhões de dólares de receitas provenientes do sector petrolífero até o mês de Dezembro do ano em curso, contra os USD 11,80 mil milhões previstoseriormente.

A contribuições fiscais continuam a crescer. E o sector petrolífero está na linha da frente. Técnico da AGT, o engenheiro Patrício Quingongo apresentou dados animadores ontem, em Luanda, durante a sua apresentação do tema Impacto do Sector petrolífero. Segundo o técnico da AGT, esse aumento poderá advir em função do preço do barril de petróleo no mercado que está na casa dos USD 70. Até ao momento, de acordo com os dados da Administração Geral Tributária, estima-se que o momento das receitas referentes ao sector petrolífero está na ordem de USD 3,5 mil milhões.

Apesar do quadro animador, a produção de petróleo de Angola tem estado em declínio nos últimos anos (15%), uma queda que é resultante da falta de novos investimentos em pesquisa e desenvolvimento. Em relação aos primeiros 4 meses do ano em curso, a produção foi de 1.495.000 barris por dia a 1.607.000 e 112.000 de barris por dia redução, que representa 7% abaixo da previsão inicial. Entre alguns factores que tiveram impacto na produção de base, estão o atraso na entrada em produção do projecto Kaombo no Bloco 32, a entrada tardia por quatro meses e baixo desempenho do campo Mafumeira, do Bloco 0, ineficiência dos principais equipamentos das instalações de produção, assim como o declínio acentuado da produção dos Blocos 18 e 31.

Sonangol trabalha no equilíbrio da produção

Dados disponíveis indicam que a Sonangol continua a trabalhar com os operadores no sentido de optimizar os níveis de produção do país, através de várias iniciativas que se encontram em curso no sentido de revitalizar o sector petrolífero nacional. A empresa trabalha actualmente na implementação de algumas medidas, nomeadamente a entrada na produção do Pólo Norte do campo Kaombo no 3T2018 ,com um plateau de 120.000BOPD, cumprimento dos programas de inspecção, manutenção das instalações e de equipamentos.

Por outra, a realização de estudos para identificação de novas oportunidades de desenvolvimento, entrada em funcionamento do campo Vandumbu no Bloco 15- 06, que está previsto para Dezembro do ano em curso, consta também da estratégia para o equilíbrio da produção. A queda dos preços de petróleo em 2014 mudou profundamente as perspectivas das companhias petrolíferas. Em 2016, por exemplo, o Brent chegou a ser negociado abaixo dos USD 30, factor este que forçou as companhias petrolíferas que operam no país a reportarem prejuízos nos anos 2015 e 2016, devido aos elevados custos produção que somam uma média de USD 35/barril. Deste modo, com a subida dos preços em 2018, as companhias petrolíferas estão a recuperar estes prejuízos em função das áreas de desenvolvimento, sendo que os mesmos reverteram-se para o petróleo para recuperação de custos.