“Kizomba Show” une angolanos e namibianos através das ondas da rádio

Com uma audiência em torno de 99 por cento, o único programa de rádio em português na República da Namíbia,tem rompido “barreiras linguísticas” e unido angolanos, namibianos e povos além fronteiras.

Há mais de 10 anos, as relações culturais entre os cidadãos angolanos e namibianos têm sido estreitadas através do programa radiofónico “Kizomba Show”. Emitdo semanalmente aos Sábados, das 10 às 15 horas, em português, na emissora “NJ 100”. É considerado como o “ponto de encontro” entre os cidadãos angolanos residentes na República da Namíbia e além fronteiras, por intermédio da Internet. Num ambiente de musicalidade tipicamente angolana, ao som do Dj Paulo, o radialista Isaías Dombele, popularmente conhecido como “MJ D´One”, dá as boas-vindas à vasta audiência, convidando-a a acompanhar o programa e a dar o seu contributo em relação ao tema em análise.

Em depoiemento a OPAÍS, Mj D´one salientou que além de tocarem as músicas solicitadas pelos ouvintes, seleccionam um tema para ser abordado durante o programa. Assim como são lidas as manchetes que marcaram a semana, tanto na imprensa local, como na angolana. Tal facto tem atraído cidadãos namibianos que se tornaram “ouvintes fíeis” e participam na programação em Língua Inglesa e em Oshivambo (língua materna local).

Líder de audiência nacional

A emissão do programa de entretenimento foi ao ar pela primeira às 20H00 do dia 16 de Março de 1998, sob o comando do Dj Paulo que, mais tarde, passou a partilhar os estúdios com o “MJ D´One”. O programa de entretenimento “Kizomba Show” é considerado por muitos dos ouvintes como líder de uma audiência nacional, avaliada em torno de 99 por cento. Esta interacção tem sido mensurada através da participação por via telefónica e nas redes sociais, com mensagens de cidadãos angolanos em diversos pontos do mundo. Ao longo destes anos de emissão já receberam em estúdio a participação de alguns músicos angolanos, dos quais podemos destacar Yola Semedo.

“Queremos emissora própria”

Questionado sobre os principais dificuldades que enfrentam para a manutenção do referido programa, MJ D ´One realçou que “não existem”, uma vez que estão numa emissora com uma audiência considerada “boa”. Entretanto, realçou que têm como projecto a longo prazo a criação de uma emissora de rádio angolana na Namíbia, na qual poderão existir mais programas em português, uma vez que desde 1998 que a comunidade angolana neste país dispõe apenas deste. Por outro lado, disse que esta também tem sido uma das sugestões apresentadas pelos seus compatriotas que participam da referida programação. “Alguns ouvintes alegam que existe uma quebra no ritmo do programa com a emissão dos spots publicitários Oshivambo, por não os perceberem”, detalhou. Sobre o assunto, justificou que assim acontece porque dependem de um espaço de antena que lhes foi cedido e, por esta razão, devem cumprir as regras. Por seu turno, o estudante Dilolwa Francisco Jorge, de 22 anos, acrescentou que além da emissora de rádio voltada à comunidade angolana, se deveria pensar na possibilidade de se criar também um programa televisivo que mostre o dia-adia dos angolanos residentes na Namíbia. Já Daniela Bernadeth, angolana residente na República da Namíbia há mais de 10 anos, afirma que depois de alguns canais terem sido removidos da DSTV, se tornou díficil terem acesso à conteúdos notíciosos sobre Angola. Por esta razão, defende a inserção de mais programas de rádio para a comunidade angolana.