Editorial: números da vergonha

Na província do Cunene há o registo de sessenta crianças que morreram de malnutrição. Somados os números de todas as outras províncias, a realidade nacional deve ser ainda mais aterradora. Seja como for, estes números do Cunene são bastantes para cobrir o rosto do país de vergonha, principalmente os rostos dos nossos dirigentes, quer na função pública, quer no Governo. Números desta natureza são inadmissíveis, dão a ideia de um povo abandonado. Às crianças que partiram já não se devolve a vida, mas é obrigatório evitar que mortes assim que voltem a ocorrer.