Pólos de desenvolvimento Industrial passam a ter gestão público- privada

O Ministério da Indústria vai abrir um concurso até ao final do ano em curso às parcerias público-privadas, com vista a infra-estruturação e gestão dos pólos de desenvolvimento industrial no país.

O anúncio foi feito pela ministra da Indústria, Bernarda Martins, durante a cerimónia de abertura da terceira edição da Feira da Indústria Angolana – Expo Indústria e a Projekta – Feira das Obras Públicas e Construção Civil abriram ontem as portas, na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda/Bengo. Segundo a responsável, dentro em breve o Ministério da Indústria vai anunciar os primeiros concursos públicos para as referidas parcerias público- privadas. “Ainda dentro deste ano vamos assistir ao lançamento dos primeiros concursos em busca de parcerias público-privadas, para infra-estruturação dos pólos industriais”, avançou.

Com isso, a ministra da Indústria justificou a necessidade da melhoria das infra- estruturas dos pólos de desenvolvimento industrial do país para que possam estar à disposição dos potenciais investidores. A rede nacional de pólos de desenvolvimento industrial conta com 18 pólos, dos quais dois em pleno funcionamento, Viana (Luanda) e Catumbela (Benguela), além dos parques de indústria rural. A governante referiu o Plano de Desenvolvimento Nacional 2018/2022 que incluiu acções prioritárias a desenvolver pelo seu departamento ministerial, com destaque para a implementação dos pólos de desenvolvimento industrial, pelo menos um pólo em cada província e de parques de indústria rural.

O PDN prevê o surgimento de centros de formação técnica especializada, direccionada para as necessidades do sector da indústria, promoção do associativismo sectorial e a realização de estudos sobre oportunidades de exportação. Dando seguimento às acções do programa de industrialização 2013/2017, o Ministério da Indústria tem estado a desenvolver estudos aprofundados sobre o adensamento das cadeias produtivas, cujas conclusões serão, a seu tempo, colocadas a debate com as associações empresariais para conclusão dos trabalhos relativos à elaboração do programa de industrialização 2018/2022.

Mais parcerias entre as empresas

No acto, a dirigente referiu ainda que o lema “crescer e fazer crescer “significa que os industriais devem começar a cooperar entre si, criando fortes relações de fornecedores -clientes entre as empresas”. A titular da pasta aconselhou ainda as empresas do sector a estabelecerem relações de confiança assim como perceberem as características do serviço que cada um precisa do outro, fidelizando as relações comerciais A exposição congrega mais de 200 expositores dos sectores da agro-pecuária, construção civil, bebidas, artesanato, cimento, madeira, petróleo, gás, pedras naturais, energia alternativa, paisagismo, meio ambiente, entre outros ramos da indústria transformadora. Com o lema crescer e fazer crescer, a cerimónia de abertura contou com a presença da vice-governadora de Luanda, Ana Paula Victor, entre outras individualidades.