Emprego, coração e desenvolvimento

João Santos, o PcA do grupo Zahara, realçou os 35 mil empregos já criados em Angola, A governadora do Huambo, Joana Lina, destacou os 700 corações jovens, empregados, que desde ontem batem com vigor no Huambo, enquanto o bispo local, D. José queirós Alves, viu no novo Xyami, aberto ontem, um local de desenvolvimento que contribui na diversificação da economia, apostando na produção local.

Antes de ver as suas prateleiras “açambarcadas” por milhares de cidadãos que não quiseram perder os preços de lançamento na mais nova superfície comercial da Cidade Vida, que nos seus 33 mil metros quadrados é a maior da cidade, João Santos o presidente do Conselho de Administração do grupo ZAHARA, no acto de abertura, fez questão de referir alguns números e de responder a ataques que nos últimos dias têm surgido, fundamentalmente nas redes sociais e em alguns órgãos de imprensa, dizendo que o grupo honra os seus compromissos contributivos e as prestações socias. “honramos as nossas obrigações fiscais e aduaneiras”, disse.

Mas antes havia falado dos jovens que encontram no Xyami Huambo o primeiro emprego, da experiência daqueles que noutros locais vão fazendo carreira na empresa, tendo entrado como ajudantes e hoje alguns já com funções de direcção, o que justifica a política de formação constante seguida pelo grupo ZAHARA. A governadora provincial, Joana Lina, depois de ter dito que agora o coração do Huambo bate com os novos empregos para a juventude e com o apoio à produção local, apelou aos investidores a apostarem igualmente noutros municípios da província (são dez). Mas, para já, o Xyami Huambo veio criar “um novo espaço de laser e convívio, que veio dar a vida e animação de que o Huambo carecia”. É que além da rede retalhista de distribuição, o Huambo passa a ter três salas de cinema, novas e modernas, depois de mais de três décadas sem projecção de filmes no grande ecrã.

Kero: um compromisso sério

Neste momento, em todo o país, as lojas Kero estão lançadas numa campanha de preços baixos em que se comprometem a devolver em dobros o valor de produtos que o cliente encontre mais baratos noutras lojas fora da rede. Por exemplo, no Huambo o pão tem o preço imbatível de 8 Kwanzas. Mais de 6 mil produtos têm os preços sob constante observação para que ninguém venda mais barato do que as lojas Kero. Entre estes estão alguns dos produtores do Huambo e do Bié que têm já nas lojas da rede o mel, os legumes e cereais que produzem. O encerramento da jornada inaugural teve Yuri da Cunha ao palco e Justino Handanga como convidado.