O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou os dados referentes ao Índice de Preços ao Consumidor Nacional (IPCN) do mês de Fevereiro. Com 36,50%, a classe educação registou maior variação. Luanda é a província que está na primeira posição com um aumento de 2,59%. Huíla, Bié, Huambo e Benguela registaram as menores variações.

Os preços ao consumidor continuam a registar variações, como monstra a mais recente tabela estatística do INE que o OPAÍS teve acesso. O estudo de Fevereiro indica que a classe “Educação” com 36,50% foi a que registou maior aumento de preços. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Vestuário e Calçado” com 3,02%, “Bens e Serviços Diversos” com 3,01% e “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 2,95%. A variação homóloga situa-se em 38,32%, registando um aumento de 20,06 pontos percentuais comparativamente a observada em igual período do ano anterior.

No documento, o INE revela que as províncias que registaram maior aumento no mês de Fevereiro de 2017 foram Luanda com 2,59%, Lunda-Norte com 2,39%, Cuanza-Norte com 2,35% e Cuanza-Sul com 1,96%. As províncias com menor variação foram as Províncias da Huíla com 0,95%, Bié com 1,15%, Huambo com 1,42% e Benguela com 1,54%. O nível geral do Índice de Preços no Consumidor (IPC) da cidade de Luanda registou uma variação de 2,59 % durante o período de Janeiro a Fevereiro de 2017. A classe “Educação” foi a que registou maior aumento de preços com 43,89 %. Foram também verificados os aumentos dos preços nas classes “Bens e Serviços Diversos” com 3,57%, “Hotéis, Cafés e Restaurantes” com 3,16% e “ Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 3,04 %.

O IPC na Lunda-Norte registou uma variação de 2,39%, durante o período de Janeiro a Fevereiro de 2017. A classe “Saúde” foi a que registou o maior aumento de preços com 3,88%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Vestuário e Calçado” com 3,85%, “Educação” com 3,75% e “Bens e Serviços Diversos” com 3,44%. A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 1,32 pontos percentuais durante o mês de Fevereiro, seguida das classes: “Vestuário e Calçado” com 0,22 pontos percentuais, “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 0,18 pontos percentuais e “Hotéis, Cafés e Restaurantes” com 0,13 pontos percentuais.

As restantes classes tiveram taxas inferiores 0,13 pontos percentuais. No período em análise, IPC da província do Cuanza-Norte registou uma variação de 2,35%. A classe “Saúde” foi a que registou o maior aumento de preços com 4,54%. Verificou-se igualmente aumentos dos preços nas classes “Vestuário e Calçado” com 3,78%, “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 3,33% e “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 3,32%. A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 1,53 pontos percentuais durante o mês de Fevereiro, seguida das classes: “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 0,23 pontos percentuais, “Vestuário e Calçado” com 0,17 pontos percentuais e “Saúde” com 0,11 pontos percentuais. As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,11 pontos percentuais.

O Índice de Preços no Consumidor da província do Cuanza- Sul registou uma variação de 1,96% durante o período de Janeiro a Fevereiro de 2017. Os “Mobiliário, Equipamentos Domésticos e Manutenção” registaram maior aumento de preços com 4,16%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Lazer, Recreação e Cultura” com 3,83%, “Saúde” com 3,74% e “Vestuário e Calçado” com 3,67%. A classe Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,64 pontos percentuais durante o mês de Fevereiro, seguida das classes “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 0,38 pontos percentuais, “Transportes” com 0,23 pontos percentuais e “Vestuário e Calçado” com 0,17 pontos percentuais. As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,17 pontos percentuais.

Províncias com menos variação de preços

O Índice de Preços no Consumidor da província da Huíla registou uma variação de 0,95%, durante o período de Janeiro a Fevereiro de 2017. A classe das “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” foi a que registou o maior aumento de preços com 2,53%. Realça-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Bens e Serviços Diversos” com 1,92%, “Lazer, Recreação e Cultura” com 1,91% e “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 1,72%. A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,55 pontos percentuais durante o mês de Fevereiro, seguida das classes “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” e “Habitação, Água, Electricidade e Combustíveis” com 0,08 pontos percentuais cada e “Saúde” com 0,06 pontos percentuais.

As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,06 pontos percentuais. Em relação a província do Huambo, o IPC mostra uma variação de 1,42%, durante o período de Janeiro a Fevereiro do ano em curso. A classe “Lazer, Recreação e Cultura” foi a que registou o maior aumento de preços com 6,33%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Educação” com 3,05%, “Saúde” com 2,72% e “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 2,57%. A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,95 pontos percentuais durante o mês de Fevereiro, seguida das classes: “Saúde” com 0,15 pontos percentuais, “Vestuário e Calçado” com 0,10 pontos percentuais e “Lazer, Recreação e Cultura” com 0,07 pontos percentuais. As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,07 pontos percentuais.

O IPC da província do Bié registou uma variação de 1,15%, durante o período de Janeiro a Fevereiro de 2017. A classe “Transportes” foi a que registou maior aumento de preços com 3,74%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Lazer, Recreação e Cultura” com 2,79%, “Hotéis, Cafés e Restaurantes” com 2,74% e “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 2,22%.

A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,63 pontos percentuais durante o mês de Fevereiro, seguida das classes: “Transportes” com 0,20 pontos percentuais, “Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 0,11 pontos percentuais e “Lazer, Recreação e Cultura” com 0,07 pontos percentuais. As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,07 pontos percentuais. Dentre as províncias com menor variação, o IPC divulgado pelo INE mostra que Benguela teve uma variação de 1,54%, durante o período de Janeiro a Fevereiro de 2017. A classe “Saúde” foi a que registou o maior aumento de preços com 4,18%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes “Vestuário e Calçado” com 4,09%, “Bebidas Alcoólicas e Tabaco” com 4,04% e “Lazer, Recreação e Cultura” com 3,12%.

A classe “Alimentação e Bebidas não Alcoólicas” foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços, com 0,47 pontos percentuais durante o mês de Fevereiro, seguida das classes: “Vestuário e Calçado” com 0, 33 pontos percentuais, “ Mobiliário, Equipamento Doméstico e Manutenção” com 0,28 pontos percentuais, “Bens e Serviços Diversos” e “Saúde” com 0,10 pontos percentuais cada. As restantes classes tiveram taxas inferiores a 0,10 pontos percentuais.

Comentários

comentários