A visão do Governo sobre a reforma e restruturação da Sonangol foi apresentada ontem, Terça-feira 07, no Ceraweek, uma das mais importantes plataformas internacionais de discussão na área da energia, que decorre em Houston, nos Estados Unidos.

Isabel dos Santos, presidente do Conselho de Administração da Sonangol, foi uma das oradoras principais do certame onde partilhou informações sobre o processo de transformação e reestruturação da Sonangol, enquanto pilar da economia angolana e a sua visão 20/30. A informação foi avançada pela Sonangol, em comunicado de imprensa. A PCA da Sonangol aproveitou a presença em Houston, capital do Estado do Texas (Estados Unidos de América), para reunir com presidentes de algumas das maiores companhias petrolíferas mundiais, casos da Chevron, ExxonMobil, Total, Grupo BP e Statoil, no sentido de avaliar futuras oportunidades e reforçar relações de cooperação.

A presidente da Sonangol foi oradora convidada da Ceraweek num painel denominado “Transforming Global E&P”. “A presença da administração da Sonangol nesta cimeira e a participação de Isabel dos Santos num painel de interesse estratégico para a indústria energética vêm reafirmar a importância da petrolífera angolana no panorama internacional do sector. É ainda mais um passo no compromisso da gestora e de toda a sua equipa em posicionar a Sonangol como uma operadora de referência, na sequência do programa de reestruturação que está a ser implementado”, lê-se.

À imprensa, Isabel dos Santos disse que um dos focos da sua gestão é o de reduzir de forma significativa os custos de desenvolvimento de novos campos de águas profundas. “Estamos a construir uma nova estrutura de capital para ser baseada em cerca de 45 dólares por barril. Para novos projectos, podemos conseguir isso, mas é um pouco mais difícil para projectos já em desenvolvimento”. De recordar que o anterior preço de referência era de USD 80 por barril. No evento estão a ser discutidos vários tópicos que são de grande interesse, uma vez que tem havido muitas solicitações por parte das operadoras internacionais sobre a nova visão de reestruturação da Sonangol e o ambiente de trabalho no país.

Já em relação à estabilidade do mercado, disse que se tem verificado uma melhoria significativa dos preços do petróleo, “uma vez que, em 2016, estes subiram mais de 80 por cento, saindo de 25 dólares para os cerca de 55”. Em relação à notícia veiculada pelo jornal Expresso, que dava conta de um possível abandono da liderança da Sonangol antes das eleições gerais de Agosto, Isabel dos Santos afasta este cenário e garante que se manterá no seu lugar independentemente do resultado eleitoral. Oficialmente, o mandato da equipa liderada por Isabel dos Santos só termina em 2020.

Comentários

comentários