Grupo militar anunciou revolta na cidade de Valência. Braço-direito de Maduro diz que situação foi resolvida.

‘Situação irregular” e “ataque terrorista”. Foi assim que o deputado Diosdado Cabello, braço-direito do Presidente Nicólas Maduro, descreveu aquilo que terá sido uma tentativa de revolta militar, ontem, na base de Paramacay, na cidade de Valencia.

Na manhã de ontem começou a circular um vídeo que mostrava um grupo de homens de uniforme militar que diziam estar a lançar uma revolta contra o Presidente Nicólas Maduro. Testemunhas dizem ter ouvido tiros durante a noite, avança a Reuters. O deputado do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), no Governo referiu-se ao incidente como um “ataque terrorista”.

Horas depois, o mesmo Diosdado Cabello anunciou que a “situação irregular” estava resolvida e que vários “terroristas” haviam sido detidos. No vídeo, os militares insurgentes intitulam-se 41.ª Brigada e anunciam a sua intenção. “Isto não é um golpe de Estado, mas uma acção militar e civil para restabelecer a ordem constitucional”, diz um deles, que se apresenta como Juan Caguaripano.

Comentários

comentários