Em Benguela, os dois principais partidos já estão em pré-campanha nesta importante praça eleitoral.

A 1ª secretária provincial da JMPLA, Adelta Matias, admitiu recentemente nesta cidade a possibilidade de mobilização porta-à-porta visando conferir vitória folgada ao “glorioso” MPLA nas próximas eleições, previstas para este ano. Por sua vez, o secretário provincial para informação e propaganda do MPLA, David Nahenda, garantiu ter a máquina eleitoral afinada desde as eleições de 2012, embora nesta altura perdesse um deputado dos cinco que compõem o círculo eleitoral.

unitaEntretanto, o deputado da UNITA, Alberto Ngalanela, que ocupa o assento parlamentar reclamado pelo MPLA nas eleições de 2012, acredita que o seu partido poderá surpreender os “camaradas” nas eleições de 2017. O também secretário provincial do “Galo Negro” em Benguela adiantou que, em relação ao processo de ingresso, o seu partido em 2016 registou uma adesão considerável de militantes provenientes do MPLA, embora, ao contrário do seu arquirrival, “não os publicitasse na comunicação social”.

Contudo, à semelhança do partido no poder, Alberto Ngalanerã garante que a UNITA tem igualmente a máquina eleitoral afinada para fazer face aos desafios que se avizinham. Nas eleições de 2012 o partido dos “camaradas” perdeu para a UNITA, um deputado dos cinco que compõem o círculo eleitoral de Benguela. Para pleito que se avizinha, o MPLA garante resgatar a sua hegemonia mas o partido do “Galo Negro” promete “surpresas”. Numa das reuniões do Comité Provincial realizada em 2016, o coordenador do grupo de acompanhamento do MPLA , Jú Martins, desafiara os seus “camaradas” à nível local a vencerem de forma “expressiva e qualificada” as eleições de 2017.

Na altura o 1º secretário provincial, Isaac dos Anjos, sem desprimor ao principal adversário político, a UNITA, prometera trabalhar para resgatar o assento parlamentar perdido em 2012. Se, por um lado, Dos Anjos mostrou- se optimista por uma vitória esmagadora no próximo desafio político, por outro, alertou os seus camaradas que não subestimassem os adversários, porque estes se estão a preparar e têm argumentos de razão. “E nós (do MPLA) temos que melhorar os nossos argumentos, deixarmos de estar só na justificação. E lá onde estivermos mal, damos mão à palmatória, assumimos e vamos correr para convencermos o eleitorado”, assegurou.

Entretanto, ainda no ano passado, em entrevista a uma rádio local por ocasião do aniversário do MPLA, Isaac dos Anjos considerou Benguela uma praça eleitoral bastante “democrática” e um exemplo para o país. Para os seus correligionários contactados por este jornal, as afirmações de Dos Anjos revelaram falta de optimismo, reconhecendo, por outro lado, que não será tarefa “fácil” debelar dois “grandes” adversários políticos, designadamente a UNITA e a CASA-CE.

Comentários

comentários