O Bureau Político do Comité Central do MPLA lamentou ontem, em comunicado, o passamento físico, por doença, de Antero de Abreu, primeiro Procurador- Geral da República de Angola e ex-deputado à Assembleia do Povo, ocorrido Quarta-feira em Viana do Castelo, Portugal.

“Foi com bastante pesar que o Bureau Político do Comité Central do MPLA tomou conhecimento do falecimento do Camarada Antero de Abreu”, refere a nota.

Advogado de profissão, o nacionalista Antero de Abreu, de 90 anos de idade, esteve estritamente ligado à defesa de presos políticos em Angola, nos vários processos que se foram sucedendo na época da ocupação colonial portuguesa, particularmente no de Agostinho Neto, em 1955, no Porto, em Portugal, em que foi uma das suas testemunhas.

Na esfera cultural, Antero de Abreu ocupou um lugar de destaque na divulgação e promoção da cultura angolana, nomeadamente no seio da Associação dos Naturais de Angola (ANANGOLA) e na Sociedade Cultural de Angola, onde veiculou as ideias do movimento “Vamos descobrir Angola” e impulsionou iniciativas para a emergência de uma literatura nacional.

No capítulo político-diplomático, exerceu, como último mandato público da sua vida, o cargo de Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República de Angola na Itália e em Malta.

Comentários

comentários