Associação de Apoio a Mulher Polícia quer mudanças no quadro, afirmando que as mulheres têm competência suficiente para competirem com os homens nos cargos de responsabilidade.

Cerca de 25 por centro dos efectivos da Polícia Nacional é constituído por mulheres. Deste total, apenas cinco por cento ocupam cargos de chefia, segundo revelou ontem a OPAIS Elisa Dias, presidente da Associação de Apoio a Mulher Polícia de Angola (AAMPA). A responsável frisou que o número de efectivos femininos desempenhando cargos de responsabilidade ainda é bastante baixo e não satisfaz a classe que augura por uma mudança no quadro.

Para Elisa Dias, em anos anteriores, a realidade era muito mais crítica, em virtude dos limites e barreiras que eram impostos às mulheres por conta de valores culturais. Porém, nos dias de hoje, dada a abertura da sociedade e o crescimento que as mulheres alcançando no ramo académico e profissional, a presidente da AAMPA considera não haver razões para que as mulheres continuem a ocupar apenas cinco por cento dos cargos de chefia na Policia Nacional, órgão do Ministério do Interior.

Assim, face ao actual cenário, a responsável, que tecia estas considerações à margem de um encontro com mais de duzentas mulheres polícias, enquadrado no âmbito das jornadas “Março Mulher”, revelou que têm decorido negociações entre o Ministério do Interior e a AAMPA no sentido de inverter a realidade, oferecendo assim mais espaço para que as senhoras ganhem mais postos de relevância.

Mais informação encontre no jornal impresso já nas bancas!

Comentários

comentários