O espólio cultural e histórico dos povos de Cabinda, Zaire e Uíge, com um acervo de 450 peças, está em conservação no Museu Regional de Cabinda.

A informação foi prestada a OPAÍS pelo director do museu, Francisco Angó, sublinhando que entre o acervo destacam-se três peças mais antigas( Mimpaba, Ngonje e Zimpunzi) datadas de 1885, que foram recolhidas um ano antes da abertura do museu em 1985. Constituem acervo do museu, objectos de uso doméstico, da vida económica, de caça, da pesca, da agricultura, do poder político tradicional, de crença e de culto, instrumentos de som e da música, da fauna, flora e amostra do petróleo.

O responsável afirmou que mais do que quantidade, o mais importante nos museus é o valor que o acervo representa, acrescentando que nem tudo que o passado deixou deve estar exposto no museu. A fonte disse que para a conservação de peças no museu, tem de se ter em conta aquelas que têm um valor homogéneo para a comunidade. Ainda assim, a instituição que dirige está a inventariar algumas peças que poderão enriquecer o acervo, nos próximos tempos.

Explicou que antes de se recuperar uma determinada peça museológica, faz-se primeiro um processo de pesquisa sobre o seu valor intrínseco. “ Depois disto é programada a sua recuperação”, afirmou.

Mais informação encontre no jornal impresso já nas bancas!

Comentários

comentários