Foram recentemente enviados a escola 2070, por via da Repartição Municipal da Educação Belas, a fim de reforçar a equipa de trabalho (até então, com apenas dois) destacada nesta zona do litoral Sul de Luanda, entre o Ramiros e a Barra do Cuanza. Entretanto, por causa da demora, os encarregados motivaram-se a matricular os seus filhos noutras para.

Em função da falta de professores, um fenómeno que na 2070 vinha a registar- se há mais de cinco anos, uma boa parte dos pais e encarregados de educação do bairro Cabarril se viu obrigada a matricular os filhos nas localidades mais próximas, sobretudo no distrito do Ramiros, segundo revelaram os responsáveis das crianças que deviam frequentar a 3ª e 4ª classes naquela instituição.

“Não tínhamos nenhuma garantia da parte do director da escola, nem de outra pessoa que os nossos filhos haviam de estudar neste ano lectivo, por isso, decidimos recorrer às escolas da Barra do Cuanza e do Ramiros”, informaram os pais, tendo lembrado que, na ocasião das inscrições, o dirigente da instituição escolar registada com o numero 2070 tinha sido peremptório em afirmar que “enquanto a repartição municipal não me enviava professores, a matrícula dos alunos para a 2ª e 3ª classes estava temporariamente suspensa”.

Até antes da chegada do reforço docente, no referido estabelecimento do ensino primário (de duas salas de aulas) se lecionavam apenas duas classes, designadamente a primeira e a segunda, sendo que esta era da responsabilidade do director da escola, Ferraz Miguel, e aquela da alçada do único professor, com quem o líder escolar partilhava o elenco de técnicos da Educação destacados na localidade em causa.

Mais informação encontre no jornal impresso já nas bancas!

Comentários

comentários