O Projecto Kaposoca (PK) prepara-se para expandir a sua actividade de formação artística no domínio da música clássica, com a abertura este ano de novos núcleos em Cabinda, Zaire, Malange, Bengo, Uíge e Kuando Kubango.

O anúncio foi feito pelo Presidente do Conselho da Administração (PCA) deste projecto, Pedro Fançony, que avançou a O PAÍS que os instrumentos para a abertura dos núcleos já estão preparados, faltando apenas a reconfirmação dos governos locais para a sua formalização.

Segundo Pedro Fançony, os governadores das referidas províncias abrangidas pelo projecto, manifestaram alguma inquietação no que toca ao arranque dos núcleos, devido à actual crise financeira que o país atravessa.

“Os governos provinciais predispuseram-se a dar alojamento, mas caber-nos-á dar um suporte financeiro para alimentar os professores e também suprir algumas despesas”. Apesar desta conjuntura, o responsável admitiu que as negociações entre a sua instituição e os governos provinciais vão continuar até que se encontre uma solução plausível.

Mais informação encontre no jornal impresso já nas bancas!

Comentários

comentários