Através de investimentos feitos por investidores privados e pelo Executivo, o sector das rochas ornamentais começa a ganhar peso no processo de diversificação da economia angolana.

Nos últimos cinco anos, o país produziu cerca de 240 mil metros cúbicos de rochas ornamentais e exportou mais de 150 mil para a China, Itália e outros. O ministro da Geologia e Minas, Francisco Queiróz, que apresentou estes dados publicamente, afirmou que as exportações enquadram-se na política do Executivo, visando o reforço das receitas fiscais indispensáveis para enfrentar a actual crise económico-financeira que o país atravessa desde 2014, causada pela queda do preço do petróleo.

Durante o acto inaugural da fábrica de corte e polimento de rochas ornamentais afecto ao grupo HM Rochas, orçado em USD 20 milhões, no município de Icolo e Bengo, em Luanda, o governante revelou que o empreendimento responde positivamente à estratégia de redução das exportações de rochas ornamentais, evitando assim a importação do seu produto acabado.

Segundo Francisco Queiroz, o empreendimento da HM Rochas é de dimensão nacional e constitui um passo em frente no capítulo da produção interna. “Agora temos oito fábricas de corte e polimento. Estamos bem servidos, uma vez que registamos igualmente o crescimento no número de produtores, que passou de 16 para 26 projectos mineiros de rochas ornamentais”, detalhou o governante. As qualidades da nova unidade de corte e polimento vai cativar os produtores a procederem os acabamentos no país, facto que, segundo Francisco Queiroz, terá um impacto muito acrescentado na economia, pois toda cadeia de produção será interna e sem recurso a divisas.

A nova fábrica por dentro

A HM Rochas está equipada com tecnologia de ponta, em que se destacam máquinas como a pá carregadora, empilhadoras, pontes rolantes, telescópio, motoniveladora, escavadora, mini-pá, (para a movimentação de blocos e chapas de mineiras). A área de corte de blocos conta com cinco unidades de fios, engenho e serra de disco, ao passo que as áreas de corte e polimento de chapa e de ladrilho, contam com três unidades para cada uma.

A fábrica está instalada numa área de 6 mil metros cúbicos, incluindo o parque de estacionamento e o armazém. A unidade fabril tem como objecto a transformação de pedras naturais, é uma empresa de direito angolana vocacionada ao corte e polimento de blocos de rochas ornamentais com vista o abastecimento do mercado nacional. Tem capacidade para transformar 25 mil metros cúbicos anuais de chapa serrada e polida. A HM Rochas transformação de pedras naturais, conta actualmente com uma força de trabalho de 36 funcionários, sendo 30 nacionais e seis expatriados.

Comentários

comentários