Parlamentares líbios a favor do Acordo Político condenaram com veemência os “ataques cobardes” cometidos por “grupos armados criminosos” nas zonas sob controlo das forças dependentes do Comando Geral no Crescente Petroleiro”. apontando o dedo ao Parlamento.

Os membros da Câmara dos Representantes (Parlamento) imputaram, num comunicado publicado Sexta-feira, a responsabilidade às ‘autoridades competentes no quadro destas violações, em particular a Câmara dos Representantes, o pretenso Governo interino (não reconhecido pela comunidade internacional) e o Ministério do Interior”.

Os parlamentares afirmaram que ‘o Comando Geral das Forças Armadas assume a plena responsabilidade pela necessidade de preservar a integridade de todos os reclusos e de todas as pessoas desaparecidas’.

‘Em virtude da responsabilidade para com os eleitores e os cidadãos que lhes deram a sua confiança para os representarem e fazerem ouvir as suas vozes, e tendo em conta o silêncio duvidoso de todos os responsáveis sobre as violações flagrantes dos direitos humanos, condenámos o rapto e a tortura que afectaram pessoas idosas, jovens e crianças na região”. lê-se no comunicado.

Comentários

comentários