A reportagem de Pedro Paxi Pereira Ndoma sobre a erupção vulcânica na Ilha do Fogo, em Cabo Verde, em 2014, deixando um rasto de destruição e obrigando à deslocação de 1.500 pessoas, algumas delas entrevistadas pelo jornalista da TV Zimbo, recebeu a distinção atribuída ao melhor trabalho de televisão no âmbito dos Prémios Africanos de Jornalismo na categoria ‘língua portuguesa’.

Pedro Paxi dedicou o prémio à Nação angolana, à juventude angolana e à sua mãe, ‘que sempre lutou, e que, para me dar formação, teve de vender fuba de bombó no Mercado dos Kwanzas’.

Também outra jornalista africana de língua portuguesa foi premiada no ‘suporte’ imprensa. Trata-se de Carla Gonçalves, que escreve no jornal cabo-verdiano A Nação e que viu reconhecido pelo júri o seu trabalho sobre a degradação do memorial a Amílcar Cabral, fundador do PAIGC, partido que esteve na origem da libertação de Cabo Verde e Guiné-Bissau do domínio colonial português. A estátua encontra-se vandalizada e num estado deplorável, as paredes cobertas de graffiti e, não obstante o seu significado, nem as autoridades nem a comunidade tomaram qualquer atitude no sentido de devolver dignidade ao monumento.

A Gala para a atribuição dos prémios, instituídos pela CNN e pela Multichoice, e que já vão na sua 20ª edição, teve lugar este sábado em Nairobi, capital do Quénia, reunindo jornalistas e convidados de todo o continente e contando com a presença do Presidente queniano, Uhuru Kenyatta.

Numa cerimónia planeada ao mínimo pormenor e transmitida em directo pela cadeia de televisão norte-americana CNN para todo o mundo, os trabalhos seleccionados foram apresentados um a um perante uma audiência que enchia o Centro Internacional de Convenções Kenyatta.

Angola ainda se fez representar por Domingos Bento, nosso colega de OPAÍS, que se candidatou com um trabalho intitulado ‘Viver com HIV/SIDA. Agora será o fim?’, publicado em suporte digital na altura em que trabalhava no jornal online Rede Angola.

O grande vencedor desta 20ª edição dos Prémios Africanos de Jornalismo foi Hyacinthe Boowurosigué Sanou, do Burkina Faso, que publicou em L’ Observateur Paalga, um texto intitulado ‘Quarto 143’. Sanou, instalou-se, em Outubro de 2014, no quarto 143 do hotel onde membros do parlamento do Burkina Faso tentavam obter apoio para estender o mandato do Presidente Blaise Campaore, que acabou por ser afastado do poder e abandonar o país.

Hyacinthe Boowurosigué Sanou, do Burkina Faso vencedor do Prémio Jornalismo Africano - Cópia

É a partir desse posto de reportagem que constrói a sua história. Faso (na foto), ao ser aclamado como vencedor, exclamou:  ‘não sou o melhor, fui apenas o que teve mais sorte !’.

 

Eis a lista completa dos candidatos às diferentes categorias da edição 2015 do prémio instituído pela CNN e pela Multichoice e que se traduz, anualmente, na festa do jornalismo africano:

Fiifi Essilfie Anaman, ‘freelance’ da Zonalsports.com, Gana

Benedicta Asiimwe, ‘freelance’ do Daily Monitor, Uganda

Femi Asu, jornal Punch, Nigéria

Domingos Bento, redeangola.info, Angola

Thomas Naadi Bitlegma, Viasat1, Gana

Sheriff Bojang Jnr, Freelance do West Africa Democracy Radio, Senegal

Ruth Butaumocho, The Herald, Zimbabwe

Ibrahima Diallo, Radiodiffusion Télévision Sénégalaise (RTS), Senegal

Adewale Olugbenga Emosu, tribuneonlineng.com, Nigéria

Chahinaz Samir Gheith, Al-Ahram Hebdo, Egipto

Carla Gonçalves, A Nação, Cabo Verde

Boldwill Hungwe, Zimbabwe Independent, Zimbabwe

Ibanga Isine, jornal Premium Times, Nigéria

Paul Kelemba, ‘freelance’ de The Standard on Saturday, Kenya

Deo Gratias Tchédé Kindoho, Radio Bénin, Benim

Julie Laurenz & Jacqueline Jayamaha, ‘freelance’ de e.tv, South Africa

Petride Mudoola, ‘freelance’ de Sunday Vision, Uganda

Abubakari Akida Mussa, jornal Mtanzania, Tanzânia

Pedro Paxi Pereira Ndoma, TV Zimbo, Angola

George Oduor Otieno, Baraka FM, Kenya

Hyacinthe Boowurosigue Sanou, L’Observateur Paalga, Burkina Faso

Enock Sikolia & Charles Kariuki, NTV, Quénia

Arison Tamfu, Cameroon Journal, Camarões

Kọ́lá Túbọ̀sún, Blogger no ktravula.com, Nigéria

Arukaino Umukoro, jornal Punch, Nigéria

Bento Venâncio, jornal Domingo, Moçambique

Herman Verwey, Beeld, África do Sul

Kiundu Waweru, The Standard on Saturday, Quénia

Sarah Wild, Mail & Guardian, África do Sul

Comentários

comentários