Decorre de 6 a 10 do mês em curso a reunião do CERAWeek que reúne as maiores empresas da indústria do petróleo e gás. O evento tem como finalidade debater políticas e regulação energética, mercados e inovação tecnológica, assim como preocupações ambientais e climáticas.

Na ocasião, a PCA da Sonangol, Isabel dos Santos, referiu que a Sonangol tem como visão “criar a nova geração de empresas petrolíferas nacionais” (NOC), assente na introdução de mudança e inovação. “Queremos desafiar a forma como as empresas petrolíferas nacionais trabalham, que nos parece ser baseada num modelo muito desactualizado”, referiu a gestora. Acrescentou ainda que é preciso construir um modelo que seja muito mais resistente às mudanças no preço do petróleo para evitarmos estar tão vulneráveis a estas variações. Para a gestora, o principal foco são os negócios de petróleo e gás.

“Temos de nos voltar a concentrar no nosso core business”, Na cimeira internacional de energia que decorre esta semana em Houston (Texas), nos EUA, Isabel dos Santos disse ainda que, entre 2015 / 2017, a Sonangol já reduziu os custos logísticos em 50 %, no âmbito do programa de transformação que tem vindo a ser implementado. Durante a sua intervenção num painel denominado “Transforming Global E&P”, Isabel dos Santos fez saber que

os grandes objectivos da Sonangol consistem em aumentar a capacidade de fiscalização do Estado angolano no seu papel como o principal accionista do sector, aumentar o lucro e eficiência do sector, assim como elevar a transparência e também melhorar a capacidades de gestão alterando o foco para as actividades core e reforçar a posição de competitividade de Angola. Isabel dos Santos participou como oradora na edição deste ano da conferência que conta, também, com intervenções de outros CEOs de relevo para a indústria energética. O tema desta edição é “Ritmo de Mudança: Construir um Novo Futuro Energético” e o evento vai focar-se nos caminhos que se perspectivam para a comunidade global de energia.

Comentários

comentários