O Conselho de Administração da Sonangol EP vai apresentar esta Segunda-feira, em conferência de imprensa, as grandes linhas e grandes números do relatório & contas da petrolífera nacional respeitantes a 2016, o primeiro exercício da responsabilidade da nova equipa de gestão que conduz a companhia, liderada por Isabel dos Santos.

Em 2015, embora Angola tenha produzido mais petróleo (quase 1,78 milhões de barris por dia), um volume 6% superior ao de 2014, o volume de vendas da Sonangol, em kwanzas, desceu 35% face a 2014, em consequência da baixa do preço do petróleo nos mercados internacionais. O lucro operacional da petrolífera estatal caiu 83% face ao exercício anterior. No entanto, no exercício de 2015, e apesar das condições adversas nos mercados, tanto o valor total do activo, como o dos capitais próprios e permanentes da empresa subiram.

O sector petrolífero está a ser alvo de uma reestruturação, a qual redefine o seu modelo. A Sonangol EP ficará como concessionária nacional e fará a gestão e monitorização dos contratos petrolíferos. A Agência para o Sector Petrolífero (Agência) procederá aos concursos para a atribuição de concessões e intervirá na resolução de conflitos e, finalmente, a COSAP terá as funções accionistas do Estado, cabendo-lhe as gestões das participações da Sonangol EP em várias sociedades. (continuação desta matéria na edição de Terça-feira de OPAÍS)

 

 

 

 

 

 

Comentários

comentários