O projeto de orçamento do Presidente Donald Trump destina 2,6 bilhões de dólares para o planeamento, design e construção do controverso muro na fronteira com o México, informou nesta Quinta-feira a Casa Branca. Além disso, concede fundos de 314 milhões de dólares para a contratação e o treinamento de 500 agentes fronteiriços e 1.000 agentes migratórios.

Estas pessoas terão a tarefa de reforçar a “integridade do sistema migratório”, assim como “identificar e remover aqueles que já estão nos Estados Unidos e que entraram ilegalmente”. No capítulo dedicado ao Departamento de Segurança Interna (DHS), o projecto de orçamento também concede recursos adicionais de 1,5 bilhão de dólares em relação ao orçamento de 2017 para ampliar a capacidade de “detenção, transporte e remoção de imigrantes ilegais”.

“Estes fundos garantirão que o DHS terá a capacidade de detenção (de pessoas) suficiente de forma a conter estrangeiros considerados prioritários, incluindo criminosos violentos e outros indivíduos perigosos, que estão em trâmite de remoção”, afirma o resumo do orçamento, de 62 páginas, distribuído pela Casa Branca.

Enquanto isso, no capítulo destinado ao Departamento de Justiça, é concedido um aumento de 80 milhões de dólares para a contratação de 75 novos juízes de tribunais migratórios (elevando o seu número a 449), para determinar “mais rapidamente os procedimentos de remoção” de estrangeiros. O projecto determina o estabelecimento de 60 novos procuradores migratórios na zona fronteiriça.

Desde a campanha eleitoral do ano passado, Trump reiterou que o México pagará pelos custos do polémico muro, embora as autoridades mexicanas já tenham descartado qualquer possibilidade de que isso possa ocorrer. Os primeiros estudos sobre o custo do muro que Trump deseja construir indicam que a conta será de pelo menos 15 bilhões de dólares, embora possa chegar a mais de 20 bilhões

Comentários

comentários